Em debate, Marcelo Ramos fez a diferença apresentando propostas de seu plano de governo

O debate foi realizado pela TV Em Tempo na noite de ontem (25).
26/10/2016 08h44 - Atualizado em 26/10/2016 14h35
Foto: Reprodução

Em tom sereno, sem aceitar provocações e com um diagnóstico preciso sobre os problemas que a cidade enfrenta, levantados pelos participantes do debate da TV Em Tempo (jornalistas e eleitores indecisos), na noite da terça-feira (25), Marcelo Ramos aproveitou todas as oportunidades para apresentar as propostas de seu plano de governo para Manaus.

Marcelo Ramos abriu o debate falando de suas propostas para os artistas de Manaus e disse que irá trabalhar para a aprovação da Lei de Incentivo à Cultura no município, que hoje não existe. Além disso, o candidato vai desvincular a Secretaria de Cultura da Secretaria de Turismo, facilitando a atuação dos dois setores. E em um terceiro aspecto, Marcelo Ramos vai incentivar a cultura nas escolas de ensino fundamental.

“Além do compromisso com a Cultura, vamos reunir com os artistas e incentivar as crianças que tenham amor pela leitura, pela música, pelo teatro e pela dançar, disse ele.

Na segurança, Marcelo Ramos afirmou que a prefeitura vai trabalhar em parceria com o Estado e ampliar a guarda municipal que irá atuar, com ação sinérgica nas escolas, nos terminais de ônibus e espaços públicos. Na educação, Marcelo Ramos vai trabalhar para garantir as progressões e promoções para os profissionais concursados.

Sobre a Previdência, Marcelo reafirmou sua denúncia sobre uma série de investimentos temerários no mercado financeiro que foram feitos e alguns desses investimentos foram negativos. “No início deste ano, houve um repasse a menor para a contribuição Previdenciária Patronal que agora está sendo parcelado. Isso gera uma temeridade para o servidor público que precisa de uma previdência equilibrada para se aposentar. Então, por um período, houve repasse a menor pela Prefeitura ao servidor público e isso é muito grave”, reafirmou Marcelo Ramos.

Boataria

Provocado por pergunta do jornalista Anwar Assi, Marcelo descartou imediatamente a volta das bancas de camelôs para as ruas do centro de Manaus, destacando que seus projetos para essa região da cidade caminham na direção da revitalização econômica das lojas, das galerias e, ao mesmo tempo, da ampliação do leque de produtos turísticos que podem ser oferecidos aos visitantes, desmentindo o boato que está sendo plantado nas redes sociais de que os camelôs irão voltar a ocupar as calçadas, caso ele seja eleito.

Marcelo apontou como projeto para revitalizar o centro da cidade a garantia de “viabilidade econômica para as galerias” que estão abandonadas, assim como lojas tradicionais e pontos turísticos estão sendo abandonados. “Quem está na galeria, continuará na galeria”, desmentiu, apontando que é possível transformar o centro em um grande shopping a céu aberto, como acontece com “outlets” no mundo inteiro, com quiosques, eventos e circulação de dinheiro.

“Quero também desmistificar um discurso, de que revitalizar o centro é só recuperar a Eduardo Ribeiro. Tudo em volta está abandonado! Pretendemos fazer um shopping a céu aberto, com quiosques organizados, vida cultural, recuperação das fachadas, concluir duas obras paradas – Praça da Matriz e Praça Tenreiro Aranha – investir no turismo e, essencialmente, na vida econômica no centro”, disse Marcelo.

Sob questionamento da estudante e professora Vitória Mustafa, Marcelo descartou também a boataria de que iria acabar com a meia-passagem dos estudantes, no transporte coletivo da cidade. A estudante afirmou que os passes oferecidos aos estudantes são insuficientes e o candidato apontou que será necessário estudar caso a caso “para garantir que cada estudante tenha a quantidade de passes necessária para ir para a escola, a faculdade e a eventos culturais”.

Marcelo Ramos deixou claro ainda seu o projeto de integrar várias frentes de atuação, para beneficiar o centro da cidade, como uma política clara de revitalização do centro com geração de emprego e renda, combate à marginalidade e recuperação do Polo Industrial de Manaus, criando inclusive um museu do PIM, tudo isso aliado à preservação ambiental e conclusão de obras que hoje estão paradas.

“Para revitalizar o centro, precisamos terminar as obras das praças e também do Corredor do Mindu”, afirmou.
Com um desempenho marcado pela firmeza e serenidade, Marcelo mostrou estar tecnicamente preparado para a missão de governar a cidade e indicou, aos eleitores indecisos, que eles já tiveram a oportunidade de avaliar o atual governo e a indecisão demonstra que não ficaram satisfeitos.

“Eu peço a chance de mostrar meu desejo de mudança para esta cidade. Quero trabalhar com o coração cheio de esperança e de vontade”, encerrou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso