15/10/2016 18h59 - Atualizado em 17/10/2016 10h56

Escândalo da Saúde: Prefeitura de Artur fez contratos milionários com presos da operação “Maus Caminhos”

A edição de domingo (16) do jornal A Crítica mostra que o prefeito Artur Neto firmou pelo menos quatro contratos através da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A edição de domingo (16) do jornal A Crítica mostra que o prefeito Artur Neto firmou pelo menos quatro contratos através da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) com as empresas dos empresários David de Azevedo Flores e Gilberto de Souza Aguiar, presos na operação “Maus Caminhos” da Polícia Federa (PF), acusados de desviar mais de R$ 200 milhões da Saúde do Amazonas. Os contratos foram firmados com dispensa de licitação pelo titular da Semsa, Homero de Miranda Leão. A denúncia de que Artur Neto contratou as empresas foi feita durante o debate da TV BAND Amazonas pelo candidato a prefeito Marcelo Ramos e comprovada com vasta documentação pelo jornal A Crítica.

Capa do Jornal Acrítica (16-10-2016)

No debate na noite desta sexta-feira (14), o prefeito Artur Neto afirmou que demitiria Homero de Miranda Leão se a denúncia dos contratos fosse verdadeira. “Se isso é verdade, o Homero está demitido. Não sou o Melo que simplesmente coexiste com a corrupção”, disse Artur Neto. No jornal de domingo, A Crítica apresenta as provas: os quatro contratos firmados pela Semsa, um dos quais no valor de R$ 1,7 milhão para uma campanha de vacinação com a empresa de Gilberto de Souza Aguiar. O valor pago chama atenção porque é 95% mais caro do que o contrato anterior, onde a prefeitura pagou R$ 895 mil pelo mesmo serviço.

De acordo com o jornal, a prefeitura de Artur Neto já havia firmado outros três contratos entre os anos de 2015 e 2016 com a empresa de David de Azevedo Flores, num total de R$ 3,1 milhões. O contrato mais recente no valor de R$ 1,1 milhão foi celebrado sem licitação com a finalidade de combater o mosquito da Dengue.

O jornal procurou o procurador-geral do Estado (MPE-AM), Fábio Monteiro, que afirmou que não falaria sobre as investigações envolvendo a área de Saúde do Estado e da Prefeitura. “Tem inquéritos apurando diversos contratos, tanto do Estado quanto da Prefeitura. Não tenho duvidas que haverá desdobramentos. Esse é o objetivo”, afirmou Fábio Monteiro. Até o fechamento dessa matéria, o prefeito Artur Neto não havia demitido, como prometido, o seu secretário de saúde.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505