Odebrecht teria pago caixa 2 para campanha de Alckmin, diz Folha

O dinheiro bancou as campanhas de 2010 e 2014 do governador de São Paulo.
09/12/2016 11h16 - Atualizado em 9/12/2016 11h16

Foto: Reprodução


Em seu acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato, a Odebrecht teria revelado que pagou caixa dois em dinheiro vivo para as campanhas de 2010 e 2014 do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Segundo informações publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira (9), duas pessoas foram citadas como intermediárias dos repasses.

Os delatores da empreiteira teriam confessado o pagamento de R$ 2 milhões ao empresário Adhemar Ribeiro, irmão da primeira-dama, Lu Alckmin. A entrega teria sido realizada no próprio escritório de Ribeiro, em São Paulo.

O outro intermediário, de acordo com o jornal, seria o atual secretário de Planejamento do governo paulista, Marcos Monteiro, que teria operado o caixa dois para a campanha de reeleição do tucano em 2014.

No Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não constam doações diretas da Odebrecht para a conta da candidatura de Alckmin em 2010 e 2014.

Procurada pelo jornal Folha de S. Paulo, a assessoria de Alckmin informou que “é prematura qualquer conclusão com base em informações vazadas de delações não homologadas” e que “apenas os tesoureiros das campanhas, todos oficiais, foram autorizados pelo governador Geraldo Alckmin a arrecadar fundos dentro do que determina a legislação eleitoral”.

Fonte: Exame


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso