Pagamento de salários e benefícios dos servidores da Aleam é uma vitória, afirma Josué Neto

Os governos de 21 dos 26 Estados brasileiros atrasaram, parcelaram ou deixaram de pagar os salários de seus servidores.
13/12/2016 13h53 - Atualizado em 13/12/2016 13h53
Foto: Elisa Maia/ ALE-AM

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PSD), disse nesta terça-feira (13) que o pagamento dos benefícios dos servidores neste fim de ano é uma vitória, mesmo sendo uma obrigação do Parlamento. Os governos de 21 dos 26 Estados brasileiros atrasaram, parcelaram ou deixaram de pagar os salários de seus servidores, assim como outras quatro Assembleias Legislativas.

“Isso é uma vitória, apesar de ser uma obrigação. Mas a obrigação em tempos difíceis, como estes que estamos atravessando, se torna vitória”, afirmou Josué Neto lembrando que a Assembleia não atrasou salários e nem deixou de pagar benefícios. Segundo ele, o pagamento da 2ª parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas será feito até o dia 16. E pagamento do 13º dos servidores comissionados será feito até a próxima terça-feira (20).

O presidente explicou que o pagamento dos salários e benefícios dos servidores foi possível em função da redução de gastos adotada nos últimos 23 meses. O corte de despesas envolveu a redução de 10% da Cota para Exercício de Atividade Parlamentar (Ceap) dos deputados, e redução de 25% a 35% dos contratos com fornecedores e prestadores de serviços da Aleam, além da suspensão das diárias dos deputados e servidores dentro do Estado, assim como o fretamento de aeronaves, comunicação visual, serviços de buffet, flores e acessórios usados em homenagens e sessões especiais na Casa.

Desde o início da crise, a Aleam enfrentou uma queda de pelo menos R$ 3 milhões mensais no repasse institucional feito pelo Estado ao Legislativo.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso