Atleta amazonense embarca para treinos em SP e segue para os EUA visando Olimpíadas 2020

O velocista já inicia o cronograma de treinos a partir da próxima segunda-feira, 30, quando também vai retirar o visto para entrar nos EUA.
27/01/2017 15h33 - Atualizado em 27/01/2017 15h33

Foto: divulgação


Um dos principais nomes do atletismo do Amazonas, Pedro Gil, agora vai mostrar nas pistas de São Paulo e dos Estados Unidos porque se tornou uma das promessas nos 100 e 200 metros rasos. A conquista de dois campeonatos nacionais e recordes quebrados do paraense radicado em Manaus – que treina e mora na Vila Olímpica da capital amazonense desde 2013 – chamou a atenção do treinador Zequinha Barbosa e, agora, o atleta de 19 anos de idade se prepara para o ciclo olímpico 2020 na terra do presidente Donald Trump. O Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), apoia o atleta.

Com o embarque programado para São Paulo, na tarde deste sábado, dia 28, o velocista já inicia o cronograma de treinos a partir da próxima segunda-feira, 30, quando também vai retirar o visto para entrar nos país Norte Americano. A viagem internacional acontece antes do fim da primeira quinzena de fevereiro.

“Fui convidado para ir aos Estados Unidos pelo treinador Zequinha Barbosa, que soube por outros treinadores do meu desempenho nos últimos anos. Ficamos conversando pelo WhatsApp e decidi ir. Vou para São Paulo tirar o visto e treinar, e de lá mesmo vou para os Estados Unidos, em San Diego, para iniciar o ciclo olímpico para Tóquio”, declarou.

De acordo com o atleta, o convite de treino de uma das referências da modalidade trouxe ânimo para a carreira do atleta. Zequinha é um melhores meio-fundistas do Brasil, além de ter conquistado bronze nos 800m do Mundial de Roma-1987 e prata em Tóquio-1991.

“Ele (Zequinha) chegou no momento em que eu estava pensando em parar. Isso foi em julho do ano passado. Comuniquei algumas pessoas, a minha mãe e técnicos. Acho que alguém comentou e ele não quis deixar a estrela apagar. Ele conversou comigo, passou alguns treinos em inglês tudo por e-mail e tive que me virar para traduzir e agora vou para os Estados Unidos”, comemorou Pedro, empolgado com a real possibilidade de estar no Japão em 2020.

“O Zequinha dá aula na High School, de San Diego, Estados Unidos, e treina atletas da elite, de alto rendimento. Ele que colocou o atleta João da Barreira na Rio 2016. Ele fez a preparação de 2014 a 2016 e conseguiu, no período de dois anos, colocar o João nas Olimpíadas. Agora vou pegar o ciclo olímpico de quatro anos. Dá para chegar mais preparado”, revelou.

Potência Olímpica
Empolgado em treinar em uma das melhores estruturas do mundo, Gil sabe que sua vida terá uma mudança drástica. “É uma oportunidade que vai mudar minha carreira. É uma oportunidade de vida. Vou estar em uma equipe forte, vou estar em um local que tem uma tecnologia e conhecimento esportivo. Todo mundo sabe que os Estados Unidos é uma potência no atletismo mundial. Acredito que vou me preparar muito bem lá e espero estar nas Olimpíadas 2020”, disse.

Embora o atleta do Centro de Alto Rendimento de Amazônia (CTARA) treine em outro país, o meio-fundista nascido em Marabá, no Pará, vai continuar representando o Amazonas nas competições dentro do Brasil.

“Estarei nos Estados Unidos, mas sempre que tiver competição, voltarei ao Brasil, como já tenho programado para maio. Vou defender o Amazonas no Brasileiro de Atletismo e depois retorno aos Estados Unidos”, avisou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso