Corpos dos 60 presos mortos em rebelião do Compaj serão guardados em contêiner

A liberação dos corpos deve demorar, pelo menos, uma semana. O contêiner vai permitir que os corpos sejam guardados em condições apropriadas.
02/01/2017 14h53 - Atualizado em 2/01/2017 17h21
Foto: reprodução

O Governo do Estado vai alugar um contêiner para guardar os corpos dos presos assassinados no confronto de facções criminosas que deixou 60 presos mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) devido o Instituto Médico Legal (IML) não ter capacidade para receber todos os mortos.

O contêiner vai permitir que os corpos sejam guardados em condições apropriadas até a conclusão dos exames que identificarão as vítimas e as causas das mortes.

Assim que a rebelião chegou ao fim e os primeiros corpos começaram a ser retirados do Compaj, parentes de presos foram ao IML em busca de informações. A liberação dos corpos dos mais de 60 presos assassinados na rebelião do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) deve demorar, pelo menos, uma semana. A informação foi dada aos parentes dos detentos por uma funcionária do Instituto Médico Legal (IML), na manhã dessa segunda-feira (2).

Portal AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso