Mutilações dificultam identificação de corpos de vítimas de chacina em Roraima

Pelo menos 22 dos 31 corpos foram periciados, mas apenas cinco até o momento foram identificados.
07/01/2017 14h10 - Atualizado em 7/01/2017 14h10

Foto: reprodução


O trabalho de identificação dos corpos das vítimas da chacina na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Roraima, é dificultado pelo estado dos cadáveres. De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) em Boa Vista, vários corpos estão mutilados.

Pelo menos 22 dos 31 corpos foram periciados, mas apenas cinco até o momento foram identificados. O IML espera terminar o trabalho de identificação amanhã (8).

Do lado de fora do prédio, parentes aglomeram-se em busca de informação sobre as vítimas desde as 6h, horário local. Caso não seja possível identificar os corpos pelas impressões digitais, os legistas analisam o DNA das vítimas.

Visitas suspensas
As visitas na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, que ocorrem todos os domingos, estão suspensas. O governo de Roraima só autorizou as visitas na Cadeia Pública masculina e feminina, que ocorrem hoje.

Na madrugada de quinta para sexta-feira 31 detentos foram mortos na maior penitenciária do Estado, na zona rural de Boa Vista. O local abriga facções criminosas rivais.

Agência Brasil


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso