Nova operação procura bens que sumiram da prefeitura do município de Maués

Documento protocolado na Polícia Civil alerta novos indícios que apontam o destino e endereços onde estariam materiais extraviados.
17/01/2017 09h17 - Atualizado em 17/01/2017 13h25
Foto: Reprodução

A Prefeitura de Maués (a 258 quilômetros de Manaus) protocolou hoje (16), na Delegacia Civil do município, novo pedido de busca e apreensão de equipamentos e bens desaparecidos dos órgãos públicos locais na gestão anterior. O documento, entregue pela Procuradoria Geral, alerta para novos indícios que apontam o destino e os endereços onde estariam os materiais extraviados.

A nova ação acontece cinco dias depois que a Polícia Civil do Amazonas recuperou em uma das casas do ex-prefeito Padre Carlos Góes, 36 bens públicos pertencentes a diversas secretarias municipais e que estavam desaparecidos.

Por determinação do atual prefeito Júnior Leite, todas os secretários, coordenadores e diretores de órgãos e departamentos municipais estão realizando um levantamento comparativo entre o que está declarado no patrimônio de suas respectivas pastas e o que foi realmente encontrado, após o dia 1º de janeiro.

“Os primeiros dias são para arrumar a casa. E os resultados preliminares são assustadores em todas administração pública. O próximo passo será o registro de boletins de ocorrência na delegacia para que a população de Maués conheça a realidade que estamos encontrando”, explicou o prefeito Júnior Leite.

Um dos piores exemplos do descaso com o patrimônio público na Terra do Guaraná está na Secretaria Municipal de Saúde, onde foram encontradas apenas 40 unidades de ar-condicionado – de um total de 237 declaradas na relação patrimonial.

Com uma população de 61 mil habitantes (estimativa do IBGE para 2016), Maués tem apenas uma ambulância em condições de fazer o atendimento na zona urbana. “As demais estão paradas porque desapareceram os motores, equipamentos e até os pneus”, afirmou o secretário Ildnav Trajano, ao acrescentar que embarcações (ambulanchas) e 11 motores de popa utilizados para fazer o atendimento das comunidades rurais também estão desaparecidos.

Na área da educação, as estimativas iniciais apontam que R$ 1 milhão em equipamentos (computadores, aparelhos de ar-condicionado, móveis e até pratos e talheres) estão ‘perdidos’. “No depósito da secretaria não encontramos uma resma de papel, apenas cinco caixas de giz e seis cadernos”, alertou o titular da pasta, João Libânio.

Na Secretaria de Produção Rural, o gestor Luis Carlos Dinelli está realizando uma verdadeira maratona no município para encontrar e recuperar equipamentos que pertenciam ao órgão e foram vendidos ou repassados para terceiros, como uma chocadeira de ovos com capacidade para abrigar seis mil crias.

“Parte do patrimônio público foi entregue para outras pessoas e outra parte não tem condições de uso ou não sabemos o paradeiro como tratores, aparelhos de GPS, voadeiras e motores”, explicou Dinelli.

O sucateamento de veículos pesados, como caminhões, pás carregadeiras e caçambas na última gestão de Maués, transformou o pátio da Secretaria de Obras em um verdadeiro ferro-velho com sucatas que deveriam servir a população.

“Os gestores anteriores retiravam peças de um veículo para usar em outro, sem nenhuma preocupação de repor ou consertar. O transporte escolar que tem apenas dois ônibus em condições precárias de circular e outros sete completamente destruídos”, afirmou a secretaria de Infraestrutura Solange Cristina Rocha.

DISQUE-DENÚNCIA

Com todos os boletins de ocorrência das secretarias e órgãos públicos a serem registrados nos próximos dias, a Prefeitura de Maués pedirá novos mandatos de busca e apreensão na polícia e por meio de sua Procuradoria Geral, também serão propostas ações por improbidade administrativa contra o ex-prefeito e seus secretários.

“Estamos concluindo as avaliações sobre a situação financeira de Maués, mas já podemos adiantar que o mesmo descaso com o patrimônio material também foi encontrado no uso do dinheiro público. Ambos são crimes e vamos cobrar os responsáveis na justiça”, assegurou o prefeito Júnior Leite.

Na última sexta-feira (13), o prefeito disponibilizou dois números de celular (9.9487-2697 e 9.8853-3294) para o serviço de disque-denúncia, no qual a população poderá informar sobre o destino de algum bem público pertencente à prefeitura. “Até mesmo quadros e obras de arte do Museu do Homem de Maués foram levados e somente com a população poderemos encontrar”, disse o prefeito.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso