Prefeito de Autazes decreta emergência administrativa nos primeiros dias de sua nova gestão

Segundo ele a prefeitura foi entregue sem condições de trabalho e ausência de equipamentos e documentos importantes para o órgão.
20/01/2017 16h31 - Atualizado em 21/01/2017 16h14

Foto: reprodução/ Internet


O prefeito de Autazes (a 108 km da capital), Andreson Cavalcante (Pros) fez um balanço dos primeiros dias de sua nova gestão e decretou situação de emergência administrativa e financeira. De acordo com ele, a prefeitura foi entregue sem condições de trabalho e ausência de equipamentos e documentos importantes para o órgão.

“Faltam documentos, computadores, os carros estão inutilizados, os equipamentos sucateados, as ambulâncias da rede pública quebradas, na sede da prefeitura todos os arquivos físicos e digitais desapareceram, as prateleiras de documentos foram esvaziadas, assim como o cofre e as contas, enfim, encontrei a prefeitura de Autazes como se tivesse sido varrida por um vendaval”, avalia Andreson, que nomeou uma comissão para apurar “desvio de bens públicos em proveito alheio”.

A comissão já identificou alguns desses equipamentos e móveis, e prepara um relatório que o prefeito irá encaminhar aos órgãos competentes (TCE e Ministério Público) solicitando à polícia apoio para repor o patrimônio público e apuração para descobrir os autores dos atos ilícitos.

O prefeito Andreson Cavalcante tem se dedicado a organizar a gestão, pois além dos equipamentos que foram indevidamente levados das secretarias e da sede da prefeitura, o antigo gestor não se preocupou com os destinos do município e usa uma rádio de sua propriedade para alardear um verdadeiro “conto de fadas” como se nada tivesse acontecendo e tudo está na mais perfeita ordem.

Fatos detectados
Os recursos da repatriação que deviam ter sido utilizados prioritariamente para pagamento de folha de pessoal foram utilizados para outras finalidades; 21 obras paralisadas no município; a cidade entregue aos buracos, à lama e ao mato; lixo espalhado pelas ruas, lixeira pública saturada, nomeação de funcionários de forma ilegal, criando falsas expectativas; efetivação de servidores com base na constituição de 1988; máquinas da limpeza pública sem pneus e outras ainda sem motor; ambulâncias paradas sem peças, saques bancários em dinheiro, débito com fornecimento de energia em mais de R$ 700 mil não repactuados, folha de dezembro em mais de R$ 200 mil não pagos, débitos com a Receita Federal de mais de R$ 120 mil. São alguns descalabros já identificados.

“O desafio é perturbador, mas até o final da minha gestão, a situação financeira do município será de equilíbrio, todo dia apuramos coisas novas”, afirma o prefeito Andreson Cavalcante que conta com uma equipe de secretários para enfrentar os desafios e transformar Autazes num lugar melhor para se viver.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso