Argentinos do Boca Juniors desembarcam em Manaus para temporada de treinos com a equipe amazonense de Luta Olímpica

Um grupo de seis argentinos que defendem a luta olímpica do tradicional Boca Juniors escolheram a Vila Olímpica de Manaus para aprimorar as técnicas.
07/02/2017 15h15 - Atualizado em 7/02/2017 15h15
Foto: divulgação

Não é somente no futebol que os argentinos estão entre os melhores. Na luta olímpica também. Emergente no esporte, assim como o Brasil, um grupo de seis argentinos que defendem a luta olímpica do tradicional Boca Juniors escolheram a Vila Olímpica de Manaus para aprimorar as técnicas e crescerem ao lado dos melhores do esporte no país. O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), apoia o intercâmbio.

Indicados pela Confederação Brasileira de Wrestling (CBW), os hermanos vieram para o intercâmbio que deve durar 22 dias, tudo para pegar o “jeitinho brasileiro” da luta de chão. Os lutadores – Mauro González, Guillermo Rodríguez, Tomás Ledesma, Jeremías Gallardo, Benjamín Lipszyc e Dário Cardozo – iniciaram os treinos na tarde da última segunda-feira, dia 06, no Centro de Alto Rendimento de Luta e o entrosamento com os amazonenses está com todo gás.

“É um intercâmbio muito importante e vai dar uma levantada no nível técnico dos nossos atletas. É muito importante e válido vir atletas para o Amazonas, assim como os nossos treinarem em outros locais, em outros países. Estamos no caminho certo. Eles (argentinos) estão sugando o que temos de bom e nós estamos sugando eles. Tecnicamente estamos melhores e alguns atletas deles tem um nível elevado. É uma troca de experiência”, disse o técnico Waldeci Silva.

Experiente entre os seis Hermanos com faixa etária de 18 a 20 anos e com vários títulos nacionais e internacionais, Dário Cardozo, 37 anos, aguarda uma evolução de todo o grupo após o término da temporada de treinos. Segundo ele, a preparação já servirá para as disputas desta temporada.

“Como sou o mais antigo do Boca e treinador do grupo que está em Manaus é uma oportunidade grande fazer esse intercâmbio. É um treinamento para buscarmos o classificatório para o Pan-Americano Júnior e uma oportunidade de aprimorarmos nossas técnicas. É uma grande experiência para os nossos atletas treinarem aqui, e também conhecerem as técnicas e trocarem muito conhecimento com os brasileiros”, destacou o responsável pela delegação, exaltando o amor pelo maior clube da Argentina.

“Rivalidade só no futebol e não fora do campo. O Boca é o time que nos possibilita toda a estrutura para o nosso treinamento. Somos amigos dos brasileiros sempre e estamos aqui para aprender”, afirmou.

Há dois anos na luta, Benjamín Lipszyc, de 18 anos, usa o intercâmbio para se preparar para o Pan-Americano Júnior. A saudade de casa, segundo ele, não atrapalha o rendimento e o acolhimento dos amazonense torna a passagem pela capital amazonense mais agradável. “Durante duas semanas vou me preparar para o Pan-Americano Júnior, no Peru, no mês de junho. Primeiro vai ter a seletiva, depois vamos para o Pan. É o início da nossa preparação e treinar aqui é muito importante. Vamos aprender muitas técnicas com os brasileiros”, disse o lutador.

Venezuelanos na próxima
Principal polo da luta olímpica no Brasil, a Vila Olímpica já recebeu somente no mês de janeiro atletas de São Paulo e de Natal. A vinda dos Argentinos não fecha a temporada de intercâmbio. Os próximos atletas a vir realizar preparação em Manaus são da Venezuela. Todos ficam hospedados no hotel do complexo esportivo.

“A ideia é promover intercâmbio. Aqui na Vila temos a estrutura de treino muito boa e o hotel. Agora estão vindo os atletas da Venezuela que devem vir nos próximos meses. Sem intercâmbio não tem evolução. Esperamos fechar mais parceria para que possamos levar nossos lutadores para o Azerbaijão”, finalizou Waldeci.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso