Corpo de Dança do Amazonas apresenta três grandes sucessos em Fortaleza

As apresentações fazem parte do projeto “Um Norte que Dança”, desenvolvido pelo Casarão de Ideias, com apoio do Governo do Amazonas.
01/02/2017 11h18 - Atualizado em 1/02/2017 11h18
Foto: Divulgação

Sucesso por onde passa, o Corpo de Dança do Amazonas (CDA) inicia sua temporada 2017 aterrissando no palco da Caixa Cultural Fortaleza (Praia de Iracema, no Ceará), de 9 a 12 de fevereiro, com os espetáculos “Cabanagem”, de Mário Nascimento; “Milongas”, de Monique Andrade; e “A Sagração da Primavera”, de Adriana Góes e André Duarte.

As apresentações fazem parte do projeto “Um Norte que Dança”, desenvolvido pelo Casarão de Ideias, com apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura. Com o objetivo de promover intercâmbio cultural entre os bailarinos e divulgar a produção artística do Amazonas, o projeto foi contemplado pelo Edital CAIXA Cultural

Segundo João Fernandes, diretor do Casarão Cia de Ideias “Um Norte que Dança” é um primeiro ensaio na perspectiva de promover aquilo que está sendo produzido culturalmente no Amazonas, para que todos possam conhecer um pouco mais sobre a Amazônia e suas produções culturais. “Estivemos ano passado em Recife com o ‘Um Norte que Dança’ e foi uma experiência fantástica. É muito gratificante poder apresentar um pouco da nossa cultura e produções para diferentes públicos”, ressalta

De acordo com o secretário de estado de Cultura, Robério Braga, a iniciativa do Casarão de Ideias deve ser um exemplo a ser seguido. “É fundamental para o desenvolvimento cultural o engajamento de toda a sociedade. A participação e a construção coletiva é o melhor caminho para resultados sólidos. Foi partindo deste princípio, que as ações desenvolvidas ao longo dos anos pela secretaria de Cultura, sempre estiveram pautadas no diálogo e na parceria com as classes artísticas”, explica.

Espetáculos – Com coreografia de Mário Nascimento, “Cabanagem” retrata a revolta popular na qual negros, índios e mestiços insurgiram contra a elite política na Região Norte do Brasil. O espetáculo apropria-se da essência da revolta popular e utiliza da sua linguagem para traduzir o espírito de resistência, de luta e de preservação das culturas. A coreografia tem como embasamento as obras ‘Uma breve história do Amazonas’, de Márcio Souza, e ‘No País das Amazonas’, de Marilene Corrêa.

Já o espetáculo “Milongas”, de Monique Andrade, ressalta a contemporaneidade dos estilos, unindo o tango com o eletrônico e a dança de salão com a dança contemporânea, sem perder a essência das milongas, estilo que surgiu na Espanha, no fim do século 19.

E “Sagração da Primavera” do CDA é inspirado na obra Vaslav Nijinsky, com música de Igor Stravinsky. A peça retrata a visão fugaz de um ritual pagão eslavo no qual uma jovem dança até a morte, como oferta ao Deus da Primavera. Os coreógrafos Adriana Góes e André Duarte retiraram a obra do seu contexto inicial e fizeram uma releitura imersa na cultura indígena.

Palestra – Após as apresentações, serão realizadas palestras com o tema ‘Processos de criação do Corpo de Dança do Amazonas’, com diretor do CDA, Getúlio Lima.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso