Motorista afirma que incendiou ônibus por não concordar com aumento da tarifa

As investigações não apontam ligação do crime organizado com as ações de vandalismo.
25/02/2017 15h24 - Atualizado em 27/02/2017 11h21
Foto: Divulgação

Um motorista foi preso quando tentava atear fogo em um dos veículos e afirmou que agiu dessa forma por estar desempregado e por não concordar com o aumento da tarifa. Na noite da última quinta-feira (23), quatro coletivos foram incendiados em Manaus, por isso, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) mandou que os coletivos se recolhessem mais cedo para as garagens.

Investigações iniciais sobre os ataques de vandalismo aos ônibus do transporte público apontam que as ações foram planejadas, segundo afirmou o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, em coletiva nesta sexta-feira (24).

De acordo com o secretário Sérgio Fontes, as investigações não apontam ligação do crime organizado com as ações de vandalismo. “Tudo indica que os ataques foram orquestrados e planejados, sempre nos mesmos horários, o que nos leva a crer que foram combinados, mas vamos chegar a todos os envolvidos”, comenta.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel David Brandão, destacou que a tropa especializada foi acionada para conter a revolta popular pela paralisação da frota. “Foi graças à atuação dos policiais que não houve mais depredação, pois os usuários estavam revoltados pela ausência de ônibus e não por falta de segurança”, disse Brandão.

Um dos suspeitos de tentar atear fogo ao ônibus da linha 450, o motorista Wilson Soares da Silva, 45, foi preso ontem à noite. As investigações apontam que ele não agiu sozinho, de acordo com o delegado-geral do Amazonas, Frederico Mendes. Segundo ele, a polícia vai investigar se a ação cometida por Wilson tem ligações com as outras ocorrências. “Uma força-tarefa coordenada pela DRCO vai conduzir as investigações. Os atos de vandalismo cometidos ontem serão investigados. Vamos apurar se eles têm ligação com pessoas do setor, até mesmo porque o preso se contradiz sobre a motivação que ele teve para tentar atear fogo em um ônibus, ressalta Mendes.

O secretário Sérgio Fontes destacou ainda a agilidade das polícias Civil e Militar na ocorrência. “A PM atuou rapidamente e conseguiu conter as manifestações; e a Policia Civil iniciando as investigações logo após o fato, garantiu a prisão do suspeito, que esperamos que fique preso, pois ele tem muito o que falar sobre o ocorrido”, disse.

Também na manhã desta sexta-feira, Sérgio Fontes também foi procurado pelo prefeito em Exercício, Marcos Rotta, e informou as providências adotadas de imediato pelo órgãos do Sistema de Segurança.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso