Prefeitura de Maués cria medidas para preservar praias

A atracação de lanchas e barcos nas praias tem provocado erosões, poluição de suas águas e a areia e afastado os banhistas da cidade e turistas que lotam a região a cada verão.
04/02/2017 11h36 - Atualizado em 4/02/2017 12h04
Foto: Divulgação

O Município de Maués (a 356 km de Manaus) é conhecido por possuir uma extensa área de praias banhadas pelo rio Maués Açú. Além de cartão-postal da cidade, elas são um dos principais atrativos turísticos. De areias amarelo ouro e com o sol se pondo dentro do rio, a cartão-postal da cidade está ameaçado, de acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Meio Ambiente (Sedema).

A atracação de lanchas e barcos nas praias tem provocado erosões, poluição de suas águas e a areia e afastado os banhistas da cidade e turistas que lotam a região a cada verão.

“Maués é uma cidade turística com praias lindas e não podemos deixar que isso se acabe. Com os barcos na área balneária da cidade, temos uma poluição não apenas ambiental, mas também visual. Em Manaus, por exemplo, não existe a atracação de embarcações no balneário da Ponta Negra, apenas no porto”, ressaltou o prefeito de Maués, Junior Leite.

De acordo com ele, as praias compreendem um recurso natural de fundamental importância para um dos eixos econômicos de Maués, o turismo. E o desaparecimento delas ou suas más condições de uso podem afetar a economia da cidade e impedir o desenvolvimento de atividades turísticas ainda mais fortes e estruturadas.

Além disso, elas representam o principal lazer para a população que vive na sede do município, aproximadamente 33 mil habitantes, que ficam sem opções de uso das praias devidos aos danos causados pelos barcos que chegam e saem da cidade.

Por essa razão, a Prefeitura de Maués determinou, esta semana, a proibição da atracação de qualquer tipo de embarcação na orla da cidade, na área que compreende as praias Maresia e Antarctica, que juntas somam 3 km de extensão.

Segundo Junior Leite, a medida seguiu as diretrizes do Plano Diretor do Município, instituído por meio da Lei Complementar 03 de 22 de dezembro de 2006. Para garantir o cumprimento da determinação municipal, as fiscalizações já começaram na orla da cidade. A área que não será permitida a atracação vai da Usina do Pau Rosa até o Porto do antigo cartório do município.

A boa notícia é nova medida da Prefeitura de Maués foi apoiada pela população que costuma frequentar as praias não apenas para o lazer, mas também para a prática esportiva. O instrutor de atividades físicas, Alessandro Melo, que também é estudante de biologia, apoiou a ação e espera que a população se conscientize sobre a importância de preservação.

“Existe uma estimativa de que, nos próximos 20 ou 30 anos, as praias do nosso município possam desaparecer, se não forem preservadas. Estou aqui todos os dias e já percebo uma diminuição no volume de areia. Espero que com essa nova medida, com o aumento na fiscalização, as pessoas se conscientizem mais”, ressaltou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso