Sabino quer que líderes de facções criminosas sejam ouvidos em CPI na Câmara dos Deputados

Ele propôs que os líderes FDN, Comando Vermelho e PCC sejam ouvidos no decorrer dos trabalhos da CPI. O objetivo segundo ele é entender como os narcotraficantes conseguem fazer com que drogas e armas passem pelas fronteiras.
09/02/2017 09h14 - Atualizado em 9/02/2017 17h15
Foto: Reprodução

O deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB-AM), propôs ontem (8), no momento em que se pronunciava em sessão plenária na Câmara dos Deputados, em Brasília, a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), com a finalidade de investigar a atuação das facções criminosas responsáveis pelas rebeliões e mortes, que aconteceram nos presídios de todo o país.

Ele propôs que os líderes da Família do Norte (FDN), Comando Vermelho (CV) e Primeiro Comando da Capital (PCC) sejam ouvidos no decorrer dos trabalhos da CPI. O objetivo segundo ele é entender como os narcotraficantes conseguem fazer com que drogas e armas passem pelas fronteiras.

Sabino disse no pronunciamento “que nem a polícia do nosso país tem as armas que esses homens têm. Estou propondo uma CPI para que a gente traga esse bandido que é o Fernandinho Beira-Mar e esse Marcola, que é líder do PCC, e que está dentro de presídio federal comandando o tráfico de drogas no Brasil, mandando executar quem ele quer. Agora tem a FDN. Mais de 100 mil já estão recrutados como exército paralelo às nossas forças e nós estamos calados”, disse o deputado amazonense.

Ainda na ocasião, Sabino revelou que vem recebendo ameaças em suas redes sociais devido seu posicionamento em relação as facções.

Fonte: Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso