Delator afirma que Braga e Omar receberam propina da Ponte Rio Negro em contratos fictícios

Quando governadores Braga e Omar teriam recebido “pagamentos indevidos, por intermédio da empresa Construtora Etam”.
13/04/2017 17h01 - Atualizado em 14/04/2017 12h02
Foto: divulgação

Licitada em 2007 no valor de R$ R$ 574 milhões a Ponte Rio Negro ficou conhecida em Manaus como a Ponte do Bilhão. Pagamentos indevidos em troca de favorecimento na obra aos ex-governadores Eduardo Braga (PMDB) e Omar Aziz (PSD) foram feitos por meio de contratos fictícios com a Construtora Etam Ltda, segundo afirma o delator e executivo da Odebrecht Arnaldo Cumplido de Souza e Silva nos documentos anexos do Inquérito nº 4429.

No primeiro semestre de R$ 2008, ainda no Governo Braga, o Estado fez um aditivo de R$ 300 milhões, com a anuência do Tribunal de Contas do Estado, mesmo contrariando a Lei de Licitações. O valor da obra ainda sofreu alterações no Governo Omar Aziz, e a ponte foi concluída por R$ 1,1 bilhão. O caso chegou ao Ministério Público antes da inauguração, mas está na gaveta.

De acordo com o delator Braga teria recebido “pagamentos indevidos, por intermédio da empresa Construtora Etam, cessionária de parte das obras, cujo representante era o senhor Eládio Cameli”. Quando Braga deixou o cargo de governador, Arnaldo acrescenta que foi procurado por um empresário do Amazonas chamado José Lopes, que se apresentou como representante de Omar Aziz e passou a exigir a continuidade dos pagamentos “na mesma base” do anterior.

Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505