Juíza ouve vítima e testemunhas de caso do cirurgião acusado de erro médico e lesão corporal em pacientes

Jorge Cury figura como parte em 27 processos na primeira instância do Judiciário amazonense, a maioria por lesão corporal e erro médico.
12/04/2017 10h47 - Atualizado em 12/04/2017 17h13
Foto: Reprodução/Internet

A juíza de Direito Priscila Pinheiro Pereira, da 11ª Vara Criminal ouviu na segunda-feira (10), as testemunhas de acusação e a vítima A.S.S., que acusa Carlos Jorge Cury Mansilla, cujo registro de médico foi cassado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) no início deste ano, de tê-la deixado com sequelas após um procedimento cirúrgico de abdominoplastia, realizado em 2013.

O Cury não compareceu à audiência porque a defesa apresentou um atestado de saúde. Ele figura como parte em 27 processos na primeira instância do Judiciário amazonense, a maioria por lesão corporal e erro médico; e dois na segunda instância. A.S.S. é uma uma das mulheres que procurou a Justiça para denunciar Carlos Cury, cuja ação nº 0607011-89.2013.8.04.0001 teve a instrução processual iniciada nesta segunda-feira. Ela contou que teria gasto R$ 11 mil em 2013 para fazer uma abdominoplastia. Depois, o médico ainda teria feito uma nova cirurgia para “tentar corrigir o erro”, conforme A.S.S. “Fiz a primeira cirurgia e quando retornei com ele, me disse que teria de refazer o umbigo, pois não estava bom. Ele fez na clínica dele mesmo. Fiquei com sequelas e sofro muito com isso”, disse, durante entrevista à imprensa, na manhã desta segunda.

As audiências de instrução continuam nesta terça e quarta-feiras, quando serão ouvidas as testemunhas arroladas pela defesa de Cury. Na quarta-feira (12), está previsto o interrogatório do réu, porém, como a defesa, através da advogada Eliziane Cristina Maluf Martins, apresentou um atestado médico, a juíza vai analisar se aceita ou não o documento.

Carlos Cury Mansilla responde a 27 ações em primeira instância no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Destas, 10 ações tramitam em Varas Cíveis, onde as denunciantes requerem indenização por danos morais; 17 ações tramitam nas Varas Criminais comuns, onde o médico cassado é acusado pelo crime de lesão corporal, lesão corporal grave e lesão corporal seguido de morte. No próximo dia 17 está prevista a realização de novas audiências de instrução de mais três casos envolvendo o réu Carlos Cury Mansilla, também irão ocorrer na 11ª Vara Criminal.

Fonte: TJAM


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505