Alto índice de rejeição em pesquisas e Lava-Jato podem afetar desempenho de Braga na eleição para o Governo do Estado

O político é citado nas delações premiadas da Operação Lava Jato, além de fortes acusações de recebimento de 10% de propina em todos os contratos de empreiteiras durante o seu governo.
05/05/2017 17h57 - Atualizado em 7/05/2017 14h59

Foto: Reprodução


O senador Eduardo Braga (PMDB), que esperou inutilmente que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinasse sua posse imediada como segundo colocado ao governo do Amazonas terá que se candidatar a vaga como todos os outros que almejam o cargo. Arthur Bisneto (PSDB), deverá ser o vice do peemedebista na disputa pelo governo.

Porém Braga tem alto índice de rejeição registrado em pesquisas recentes e a citação nas delações premiadas da Operação Lava Jato, além de fortes acusações de recebimento de 10% de propina em todos os contratos de empreiteiras durante o seu governo de oito anos e, mais alguns milhões desviados do orçamento para construção do Prosamim.

Por causa dessa grande rejeição da população Braga encontrou resistência dentro do seu próprio grupo político para que seu nome fosse eleito como candidato ao governo.

Com o cenário político baré alvoroçado desde a notícia da cassação de José Melo (PROS) uma ruptura na composição PSDB/PMDB é esperada pois o vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, deve romper com Braga nos próximos dias uma vez que o senador luta para não dar espaço para o vice de Arthur Neto com medo que em um futuro próximo, ofusque ou mesmo o traia em acordos políticos-partidários.

Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso