Centrais Sindicais indicam nova greve geral para o fim de junho

Sindicalistas falam em “união da classe trabalhadora e adesão maciça da população” contra as reformas Trabalhista e Previdenciária.
30/05/2017 15h16 - Atualizado em 31/05/2017 11h01

Foto: Reprodução


Após reunião entre as centrais sindicais no final da tarde desta segunda-feira (29) para avaliar as manifestações ocorridas em Brasília na semana passada, lideranças sindicais alinharam uma nova greve e manifestações esporádicas contra as reformas Trabalhista e Previdenciária em vários estados. Sindicalistas falam em “união da classe trabalhadora e adesão maciça da população” contra as reformas Trabalhista e Previdenciária. As centrais também aproveitaram para organizar uma nova greve geral, que deve ocorrer na última semana de junho, mas ainda sem data específica definida.

José Calixto Ramos, presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) disse que haverão novas manifestações em vários estados de forma constante, para manter a população consciente das propostas “prejudiciais” aos trabalhadores e trabalhadoras que tramitam no Congresso, além da criação de uma comissão para falar individualmente com cada senador. “A ideia é manter o foco contra as reformas defendidas pelo governo, para continuar alertando a população sobre os riscos que corremos de perda de direitos trabalhistas, culminando numa nova greve geral ao fim do mês que vem. O dia será entre 26 e 30 de junho, mas a data específica ainda será avaliada pro todos nós”, finaliza.

Na próxima segunda-feira (05/06), às 10h, as centrais sindicais farão uma nova reunião na sede da NCST, em São Paulo (SP), para definir os próximos passos do movimento sindical contra as reformas. Participam da reunião: Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Força Sindical (Força), Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Central Sindical e Popular (CONLUTAS) e Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB).


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso