Gilmar Mendes decidirá se eleição para Governo do Amazonas será direta ou indireta

A ALE-AM impetrou um mandado solicitando que a escolha do novo governador seja feita na casa, de forma indireta (escolha dos deputados).
17/05/2017 19h43 - Atualizado em 18/05/2017 10h35
Foto: Reprodução

O mandado de segurança impetrado pela Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) para suspender as eleições suplementares no Amazonas será analisado pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes.

A intenção da ALE-AM, com a briga judicial, é tomar para o parlamento as rédeas da eleição que vai definir o governador do Estado até o final de 2018, em um pleito indireto em que apenas os deputados escolheriam o chefe do Executivo estadual. A eleição direta, definida após acordo entre TRE e TSE, está marcada para o dia 6 de agosto, com eventual segundo turno em 27 do mesmo mês.

No despacho, o ministro e relator, Napoleão Filho destacou que “considerando-se que a liminar pretendida pela impetrante busca, em verdade, obstar a execução de julgado determinada pelo Colegiado desta Corte Superior, no qual fiquei vencido, encaminhe-se o feito à elevada apreciação do Senhor Presidente deste Tribunal, para as providências que julgar necessárias (Art. 9o., “e” do RITSE) ”.

Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505