União de esforços entre os Governos Estadual e Federal garante mais uma etapa de atendimento humanitário aos municípios em Emergência

Serão enviadas 900 toneladas de ajuda humanitária, quase o dobro da primeira fase, quando foram disponibilizadas 500 toneladas para a calha do Juruá, no mês de março.
19/05/2017 15h41 - Atualizado em 19/05/2017 15h41
Foto: Divulgação

Os Governos Estadual e Federal, por meio da Defesa Civil do Amazonas, lançou hoje, 19, a segunda etapa da operação de atendimento as famílias afetadas pela enchente no interior. Dessa vez, serão enviadas 900 toneladas de ajuda humanitária, quase o dobro da primeira fase, quando foram disponibilizadas 500 toneladas para a calha do Juruá, no mês de março.

“Essa é mais uma mega operação dos Governos Estadual e Federal em prol dos afetados nas calhas atingidas pela enchente. A meta é minimizar os impactos que o desastre causa nas famílias que geralmente ficam prejudicadas economicamente e necessitam do apoio”, enfatizou o secretário Executivo da Defesa Civil AM, coronel Fernando Pires Júnior.

Em Situação de Emergência estão: Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamarati, Carauari, Juruá, Canutama, Benjamin Constant, Atalaia do Norte, Tapauá, Tabatinga, Tonantins, Santo Antônio do Iça, Amaturá, Anamã, Anori, Coari, Iranduba, Manacapuru, Caapiranga, Itacoatiara, Tefé e São Paulo de Olivença, totalizando 23 cidades em anormalidade devido à cheia dos rios.

Ajuda humanitária
Na segunda fase de atendimento, 13 municípios serão contemplados com cestas básicas, kits medicamentos (vitamina, antibiótico, analgésico), kits de higiene (fralda infantil e geriátrica, sabonete, escova dental, creme dental, toalha de banho, papel higiênico, desodorante, absorvente), kits limpeza (vassoura, rodo, sabão, luva de borracha, pá coletora, esponjas, pano de limpeza, sabão em pó), kits dormitório (cobertor, lençol, fronhas, travesseiro) colchão, água potável e hipoclorito de sódio para a purificação da água.

Anamã
O município de Anamã, localizado na calha do Solimões e que decretou Emergência no início de maio, já está com unidades de saúde e escolas afetadas por conta da subida das águas. O representante do município, Marcos Oliveira, destacou a importância do apoio do Estado nesse momento em que a população perdeu parte da produção agrícola. “Esse apoio do Governo e da Defesa Civil é de suma importância, isso porque o poder executivo local, não tem mais estrutura para socorrer todos os afetados”, afirmou.

Anori
O prefeito da cidade Jamilson Ribeiro, destacou que a população, tanto da zona Rural quanto da Urbana, está enfrentando dificuldades e que ações estão sendo desenvolvidas para amenizar a situação. “A Defesa Civil já fez o cadastro das famílias que necessitam do apoio para que todos sejam contemplados”, ressaltou o gestor.

Durante a coletiva, o deputado estadual Sabá Reis, enfatizou a importância do trabalho do órgão em favor dos afetados. “O nosso povo é calejado com essa questão da subida das águas, e a Defesa Civil está se antecipando ao desastre por que o Governo não para”, disse.

Primeiro atendimento
Na primeira etapa, os agentes da Defesa Civil do Amazonas distribuíram em Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamarati na calha do Juruá e Canutama no Purus, 500 toneladas de socorro humanitário, entre cestas básicas, kit`s dormitório, higiene, limpeza, medicamento, e ainda, água, colchão e hipoclorito de sódio, para os afetados.

A próxima etapa vai contemplar Anori, Iranduba e Manacapuru, na calha do Solimões e Itacoatiara no médio Amazonas.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505