Gilmar Mendes dá voto de Minerva e TSE decide: “Fica Temer”

A ação poderia cassar o mandato do presidente Michel Temer e os direitos políticos da ex-presidente Dilma Rousseff.
09/06/2017 19h34 - Atualizado em 10/06/2017 13h31
Foto: Reprodução

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu na noite desta sexta-feira pela manutenção da chapa Dilma-Temer, vencedora na eleição presidencial de 2014, por 4 votos a 3. A ação poderia cassar o mandato do presidente Michel Temer e os direitos políticos da ex-presidente Dilma Rousseff.

O voto de Minerva foi dado pelo presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, quando a votação do julgamento estava empatada em 3 a 3. Ao longo da semana, o ministro se manifestou no tribunal contrário à inclusão de provas da Odebrecht na análise das denúncias sobre abuso de poder político e econômico da chapa.

– Se quiser impichar um presidente se deve fazer pelo processo normal. Não tentem usar a mão do tribunal para resolver crise política, porque o tribunal não é um instrumento, resolvam seus problemas – disse Gilmar em sua decisão, na qual citou até a personagem de Monteiro Lobato América Pisca Pisca, o reformador do mundo, que via defeitos em todas as coisas e queria reformar até a natureza:

– Caiu em seu nariz uma jabuticaba, e ele disse “eu acho que Deus tinha razão. Se caísse no meu nariz uma abóbora talvez Américo Pisca Pisca não estivesse mais aqui”. Muitas vezes nós brincamos de Américo Pisca Pisca, temos que ter muito cuidado com as instituições.

Também votaram pela absolvição os ministros Napoleão Nunes Maia, Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira. A favor da cassação ficaram os ministros Herman Benjamin (relator), Rosa Weber e Luiz Fux.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505