TSE mantém cassação de Melo e ordem de eleições diretas

Procurador-geral da Aleam, Vander Góes, deve entrar com o recurso para questionar a decisão de eleições diretas.
01/06/2017 15h43 - Atualizado em 2/06/2017 10h54
Foto: Reprodução

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou o acórdão que mantém a cassação de José Melo (Pros) e Henrique Oliveira (SD). O tribunal multou o ex-governador e seu vice com 50 mil Ufirs (Unidades de Referência Fiscal) e determinou a realização de eleições diretas para para preencher o cargo. O documento foi divulgado na manhã desta quinta-feira (1).

O procurador-geral da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Vander Góes, tem três dias para entrar com um pedido de embargo de declaração. Vander anunciou que deve entrar com o recurso até sexta-feira (2). O objetivo é questionar a decisão de eleições diretas.

O documento atesta ainda que há provas suficientes para “evidenciar tanto a compra de votos por parte de terceiro não candidato, quanto a ciência do candidato em relação ao ilícito” e que há elementos capazes de comprovar “o local em que ocorreu a oferta e promessa de vantagens em troca de votos, o envolvimento, direto ou indireto, de pessoas ligadas ao candidato por vínculos político e familiar, e a relação contratual da autora da conduta com o governo estadual”.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505