Eleição suplementar no Amazonas corre risco de ser suspensa

O pedido de suspensão foi feito pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) nesta segunda-feira (14).
15/08/2017 10h24 - Atualizado em 15/08/2017 17h06
Foto: divulgação

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) entrou ontem com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que o ministro Ricardo Lewandowski reconsidere decisão tomada na semana passada e suspenda a eleição suplementar no Amazonas. Pede também que, caso o ministro não reveja sua sentença de manter a realização do pleito, leve o caso, com urgência, para o plenário da Corte decidir já na próxima sessão.

O recurso foi apresentado na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 464, no Supremo, que contesta a decisão do TSE de convocar eleições diretas no Amazonas, e pede para realizar eleição indireta na qual os 24 deputados escolheriam o novo governador do Estado.

A Casa Legislativa hoje é presidida pelo deputado Abdala Fraxe (PODE), que tentou ser candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Rebecca Garcia (PP), mas teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso