“Era para ser uma candidatura de propostas e não de ataques”, diz partido de Liliane sobre ela

O PPS disse que considera a impugnação ao registro de Rebecca Garcia um ataque e jogou toda responsabilidade em Liliane Araújo
02/08/2017 17h50 - Atualizado em 3/08/2017 13h56
Foto: Reprodução

O Partido Popular Socialista (PPS) da candidata ao governo do Amazonas, Liliane Araújo, negou através do presidente estadual do PPS, Elcy Barroso Júnior, nesta quarta-feira (2) que a ideia de impugnar o registro de candidatura do novo vice da candidata Rebecca Garcia (PP), o vereador Felipe Souza, tenha partido deles e jogou toda responsabilidade na candidata.

De acordo com Elcy a decisão foi tomada pela candidata Liliane Araújo (PPS) sem consulta ao partido. “Foi decisão unilateral dela (Liliane)”, afirmou o presidente do PPS.

Elcy Barroso afirmou que, quando o PPS lançou a jornalista Liliane Araújo na eleição suplementar, a motivação era construir uma candidatura alternativa e de propostas. “Era para ser uma candidatura de propostas e não de ataques”, afirmou.

O presidente do PPS disse que considera a impugnação ao registro de Rebecca Garcia um ataque a outra candidata. Elcy afirmou que só soube da impugnação pela imprensa após a ação ser protocolizada no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

Elcy explicou que consta o nome do PPS no sistema do TRE-AM porque a coligação que está na disputa é representada apenas pelo partido, mas que a ação não é movida pela direção da sigla.

Liliane negou a veracidade do print de conversa vazado pelo whatsapp que expõe suposta aliança dela com o senador Eduardo Braga para atacar Rebecca. Porém a prova dos nove será no debate desta quinta-feira (3) se Liliane usar de ataques contra a outra candidata mostrará que o acordo é verdadeiro.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505