Henrique Oliveira quer barrar eleição no Amazonas e tomar o governo

A petição está na Ação Cautelar (4342) requerendo o retorno de Henrique Oliveira ao posto de governador.
01/08/2017 14h38 - Atualizado em 2/08/2017 12h25

Advogados de Henrique Oliveira entraram, hoje, com um agravo regimental contestando a decisão do ministro Celso de Melo, do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a retomada das eleições diretas. A petição está na Ação Cautelar (4342) requerendo seu retorno ao posto de governador.

Foi por meio dessa ação que o ministro Ricardo Lewandowski suspendeu as eleições suplementares no dia 28 de junho. No dia 6 de julho, decisão do ministro Celso de Mello, do STF, restabeleceu o acórdão do TSE que cassou José Melo e Henrique Oliveira e determinou nova eleição direta. A eleição suplementar acontece no próximo domingo.

O STF voltou aos trabalhos hoje e poderá julgar os recursos relacionados à eleição suplementar para a escolha do novo governador do Amazonas. O primeiro turno da eleição direta está marcado para o próximo domingo, quando 2.337.760 eleitores em todo o Estado devem ir às urnas. O orçamento para o pleito está estimado em R$ 18 milhões para o primeiro e segundo turno.

Além de Henrique contra a eleição existe também um recurso da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), que pede as eleições indiretas.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso