Ministério Público Federal abre inquérito para investigar Arthur Neto e José Melo

O Núcleo de Combate à Corrupção da Procuradoria da República vai investigar o superfaturamento de obras dos dois gestores.
10/08/2017 15h36 - Atualizado em 11/08/2017 11h39
FOTO: TACIO MELO/SEMCOM

Indícios de superfaturamento de obras no Amazonas estão sendo investigados pelo Ministério Público Federal (MPF), pela construção de dois residenciais um da gestão do prefeito de Manaus, Arthur Neto, de R$56 milhões e outro na do ex-governador cassado, José Melo, de R$131,9 milhões.

As obras dos residenciais Manauara I, de Arthur e Viver Melhor III, de Melo ao todo custaram R$187,9 milhões pagas com dinheiro do governo federal por meio do programa “Minha casa, minha vida” e foram realizadas pelas empresas RD Engenharia e Construtora Soma Ltda.

O inquérito foi oficializado na última segunda-feira (7) quando o MPF publicou no diário oficial do órgão. A portaria nº12 é assinada pela procuradora da república, Luisa Astarita Sangoi. As investigações serão conduzidas pelo Núcleo de Combate à Corrupção da Procuradoria da República do Amazonas.

Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso