Quase 6 mil toneladas de drogas vindas do Peru e da Colômbia são incineradas no Amazonas

As drogas incineradas representam a somatória de quatro meses de apreensões, realizadas na capital e no interior.
11/08/2017 15h20 - Atualizado em 12/08/2017 14h37
Foto: divulgação

A incineração de duas e meia toneladas de entorpecentes, entre cocaína e maconha apreendidas no período de abril a julho deste ano, pelas instituições que compõem a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), nesta sexta-feira, 11, eleva para quase 6 mil toneladas, o volume incinerado este ano, no Estado. Maior parte da droga é oriunda do Peru e da Colômbia.

O incineração teve início por volta das 9h, nas instalações de uma empresa de produtos químicos e reciclagem, localizada na segunda etapa do bairro Distrito Industrial, zona Leste da capital. O procedimento foi acompanhado pelo delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas, Frederico Mendes; pela delegada Leila Silva, diretora da Drad; e pelo delegado Paulo Mavignier, diretor do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc).

Leila Silva explicou que as drogas incineradas representam a somatória de quatro meses de apreensões, realizadas na capital e no interior, por todos os órgãos que compõem o Sistema de Segurança Pública no Estado.

O delegado Paulo Mavignier ressaltou que grande parte da droga incinerada é fruto de apreensões do Denarc e destacou, ainda, que toda a droga que passa pelo Amazonas é oriunda do Peru e da Colômbia.

“A Colômbia, como grande fabricante de skunk, e o Peru, como um dos maiores fabricantes de cocaína, tanto pasta base e o cloridrato. O resultado das apreensões de entorpecentes pelo Sistema de Segurança do Estado é um prejuízo enorme para o crime organizando”, concluiu o diretor do Denarc.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso