Restrição de gastos do governo David Almeida não interfere no pagamento de abono aos professores e pedagogos do AM

A informação foi confirmada pelo próprio Tribunal e Contas do Estado (TCE-AM) que fez a restrição de gastos.
30/08/2017 16h07 - Atualizado em 31/08/2017 11h00
Foto: divulgação

A decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) desta quarta-feira (30), que restringe os gastos do orçamento do Estado pelo governador em exercício, David Almeida (PSD), não impede o pagamento do abono do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para 31 mil professores e pedagogos do Amazonas. A informação foi passada pela Assessoria de Comunicação do próprio Tribunal.

Na segunda-feira (28) foi anunciado o pagamento, de R$ 236 milhões para a categoria, seria parcelado em quatro vezes – de setembro a dezembro –, no dia 20 de cada mês. Cada profissional deve receber entre R$ 6 mil, R$ 12 mil e R$ 18 mil, dependendo da carga horária que pode ser de 20, 40 e 60 horas.

Aproximadamente 31 mil servidores do Estado, entre professores e pedagogos, receberão a partir de 4 de setembro a primeira parcela do abono que será pago pelo governo.

Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso