Usuários do transporte público se revoltam com 30 segundos dados pelo Sinetram para passar na catraca dos ônibus

Para os passageiros o tempo não é suficiente quando os ônibus estiverem lotados.
04/09/2017 16h46 - Atualizado em 5/09/2017 16h25
Foto: reprodução/internet

O novo sistema de bilhetagem do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetam), implantado esta semana, tem gerado polêmica e revolta entre pessoas que utilizam o ônibus diariamente.
A partir de agora os passageiros do transporte coletivo de Manaus terão 30 segundos para passar na catraca dos ônibus, após liberação do cobrador, caso perca esse tempo o usurário terá que pagar uma nova passagem de R$ 3.80.

Segundo o Sinetram a medida não se aplica aos usuários dos cartões PassaFácil, a medida vale apenas para os usuários que pagam com os cartões.

Para a secretária Márcia Santana de Oliveira, 30, o tempo é suficiente quando o ônibus não estiver lotado, caso contrário será prejudicial, além disso também pode prejudicar os usuários que estiverem carregando sacolas ou mochilas. “Muitas vezes é bem complicado passar nesse tempo porque a gente carrega coisas e se equilibra para não cair. Vai ser complicado e é revoltante. Somos prejudicados de todas as formas”.

Apesar das reclamações o Sinetram afirma que o tempo estabelecido é suficiente para o passageira passar. “Fizemos estudos e detectamos que 30 segundos é tempo larga margem de sobra”, destaca o diretor da ACOP/Sinetram, Azarias Carvalho.

De acordo com a instituição, a medida foi adotada depois que um equipamento chamado “solenoide”, dispositivo que fica dentro da catraca, estava queimando por aquecimento devido ao longo tempo acionado e aumentando consideravelmente o recolhimento de ônibus para reparos.

Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505