Mãe da menina que tocou homem nu em museu emudece em audiência com senadores

Durante a maior parte da audiência a militante ficou calada, o máximo que ela conseguiu dizer foi a frase: ‘Eu vou permanecer calada’.
30/10/2017 16h14 - Atualizado em 30/10/2017 16h14
Foto: Reprodução/internet

Elizabete Finger, que é mãe da garota que incentivou sua filha menor de idade a tocar no corpo do coreografo Wagner Schwartz, completamente nu, durante uma pseudo-performance artística no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), teve a chance de se explicar durante uma audiência realizada no Ministério Público de São Paulo, com as presenças dos senadores Magno Malta e José Medeiros.

Durante a maior parte da audiência a militante ficou calada, o máximo que ela conseguiu dizer foi a frase: ‘Eu vou permanecer calada’.

Elizabete também é coreógrafa e viaja o mundo desenvolvendo trabalhos que, segundo ela própria descreve, ‘perseguem uma lógica de sensações e se ocupam de um erotismo da matéria: um corpo-matéria que se funde, colide, atravessa outras matérias’.

Segundo informações, em razão de seus trabalhos, a coreógrafa não tem contato frequente com a filha. Entretanto, infelizmente, nesse último encontro conseguiu achar uma maneira de marcar negativamente toda a vida da criança.

Abaixo, veja o vídeo:


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso