Marina chama Bolsonaro de ‘populista’ e diz não acreditar em coisas ‘resolvidas de forma violenta’

A política deu entrevista à BBC Brasil em Londres, em uma de suas paradas de seu tour pela Europa
19/10/2017 18h15 - Atualizado em 19/10/2017 18h16
Foto: Vagner Campos/MSILVA Online/VEJA

Marina Silva, em entrevista à BBC Brasil em Londres, em uma de suas paradas de seu tour pela Europa chama o deputado Jair Bolsonaro de “populista”.

“Acho que quando você sinaliza para a sociedade que pode resolver as coisas a qualquer custo, a qualquer preço, como se isso fosse apenas uma questão de força, isso tem um viés populista muito forte. Não acredito nas coisas que são resolvidas de forma violenta, excludente”, diz.

Para Marina, o Congresso tem dificuldade em cassar seus integrantes por “corporativismo” e várias legendas de diferentes espectros políticos se unem para “salvar a própria pele”.

“Aqueles que nunca se juntaram para defender saúde, educação, segurança pública, infraestrutura, agora estão unidos para evitar a punição dos crimes que cometeram”, diz, citando o PT, PMDB, PSDB e DEM.

Evangélica, defende o Estado laico. Ambientalista, diz que os céticos em relação ao aquecimento global são minoria e deveriam adotar o princípio da precaução para evitar que o homem destrua a natureza.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505