Profissionais da Seduc e da Semed devem passar por inspeção de saúde psicológica

O alerta é devido a tragédia ocorrida na creche em Janaúba (MG), na semana passada, quando um segurança colocou fogo no lugar, matando nove crianças.
11/10/2017 14h50 - Atualizado em 12/10/2017 14h21
Foto: divulgação

O presidente da Comissão de Serviços Públicos da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Professor Gedeão Amorim (PMDB), alertou hoje, 10, sobre a importância da avaliação da saúde psicológica dos profissionais envolvidos na educação do Estado e do município que lidam, diariamente, com crianças e adolescentes nas escolas.

Gedeão Amorim fez o alerta ao relembrar a tragédia na creche em Janaúba (MG), na semana passada, quando um segurança colocou fogo no lugar, matando nove crianças, a professora delas e se suicidando em seguida. O parlamentar protocolizou uma indicação à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e à Secretaria Municipal de Educação (Semed) para que as pastas façam acompanhamento dos profissionais de Educação a cada ano, como uma forma de garantir a saúde emocional dos servidores.

Para o parlamentar, pessoas que possuem cargos e atividades dentro da educação, precisam passar por rígidas avaliações para assumirem tais funções. “Ninguém procura saber da vida das pessoas, como elas vivem, como são ou quais suas condições temperamentais e a pessoa que atirou fogo a escola, segundo os jornais, era uma pessoa solitária, calada e inclusive surpreendeu a todos com aquela atitude”, afirma Amorim.

O vereador pediu aos parlamentares a devida atenção ao ocorrido, para que não passe de um caso isolado e chama a atenção também do executivo municipal para que façam uma revista geral às escolas, revendo as condições de prevenção a incêndios, que é pouco cobrado dentro dessas estruturas.

“Resta para nós, na condição de representantes e dedicados aos interesses e necessidades da comunidade que a partir de um fato como este tenhamos a sensibilidade de acionar o poder público para aquilo que podemos fazer como prevenção”, declara o vereador.

Síndrome de Burnout
Gedeão Amorim, também, alertou sobre alguns problemas de ordem emocional que podem afetar os profissionais de Educação e devem ser avaliado pelos gestores, como a Síndrome de Burnout. Diagnosticada há mais de 30 anos, a síndrome atinge profissionais com alto nível de estresse causando problemas psicológicos e até físicos.

Ela é definida como uma doença psicológica caracterizada pela manifestação inconsciente do esgotamento emocional”, explicou o parlamentar. Ele disse ainda que tal esgotamento ocorre por causa de grandes esforços realizados no trabalho que fazem com que o profissional fique mais agressivo, irritado, desinteressado, desmotivado, frustrado, depressivo e que se avalia negativamente.

O termo Burnout tem origem na língua inglesa, a partir da união de dois termos: burn e out, que respectivamente significam queimar e fora. A união dos termos é melhor traduzida por algo como “ser consumido pelo fogo”. A partir da década de 1980, autores como Maslach passaram a usar esse termo para designar a síndrome decorrente da exaustão emocional humana.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso