Programa Minha Casa, Minha Vida entrega 500 residências em Maués

As casas do mais novo conjunto habitacional do Amazonas – Residencial José Esteves II – possuem 43 m2 de área construída.
10/10/2017 14h58 - Atualizado em 10/10/2017 16h17
Foto: Divulgação

Nídia Silva, Cristiane de Oliveira e Gilia Cardoso são mulheres amazonenses, responsáveis pelo sustento de seus lares e desde a manhã de ontem (09), são proprietárias de fato e direito de suas respectivas residências, em cerimônia realizada pelo programa federal Minha Casa, Minha Vida e a Prefeitura de Maués, na Terra do Guaraná (a 253 km de Manaus). No total, 500 casas foram entregues, das quais 70% estão em nome das “chefas” da família.

As casas do mais novo conjunto habitacional do Amazonas – Residencial José Esteves II – possuem 43 m2 de área construída e estão divididas em sala, banheiro, dois quartos, copa, área de serviço, sistema de energia solar e de tratamento de esgoto.

As obras foram iniciadas em 2011 e tinham previsão de ser entregues em 2013, mas pendências burocráticas e jurídicas paralisaram as atividades até janeiro deste ano, quando a prefeitura local, retomou o interesse pela conclusão do projeto.

“Esperei tanto tempo que perderam minha documentação duas vezes. Mas valeu a pena porque finalmente terei um lugar para criar meu filho de 4 anos”, disse a vendedora Gilia Cardoso, que depois de oito anos, vai deixar o quarto onde vive na casa da sogra há oito anos.

Pagando cerca de R$ 400 de aluguel por mês – contra os atuais R$ 50 que passará a pagar pela casa – a doméstica Cristiana Oliveira também festeja o fim de um drama em sua vida e dos quatro filhos.

“Sinceramente, já tinha desistido da casa. Estava morando de favor no quintal de um amigo porque cansei de tantas promessas de dois prefeitos, até que a atual gestão resolveu acabar de uma vez com esse drama”, disse emocionada.

Inadimplência
Durante o evento o prefeito de Maués, Junior Leite, afirmou que além da resolução das questões burocráticas junto à Caixa Econômica Federal e ao Ministério das Cidades em reuniões em Brasília, a prefeitura realizou uma série de ações para preparar o bairro para receber toda a demanda de serviços sociais, segurança, de saúde e educação que será exigida pelos novos moradores.

“Temos uma UBS que atende a região e já estamos planejando construir uma nova Unidade de Saúde em frente ao residencial que será concretizada nos próximos meses”, explicou o prefeito, que também anunciou um grande projeto habitacional que vai entregar e regularizar mil lotes até 2020 para famílias carentes do município.

O gerente habitacional da Caixa Econômica Federal no Amazonas, Augusto Manoel, afirmou que o projeto do Residencial José Esteves II está orçado em R$ 26 milhões e que os principais problemas do Minha Casa, Minha Vida no Amazonas, são os altos índices de inadimplência e comercialização dos imóveis antes do prazo determinado por lei.

“Cada casa do conjunto em Maués custa R$ 52 mil e as parcelas variam de R$ 25 a R$ 250. Em uma década, o morador que levar a sério vai concluir o pagamento com folga e ainda poder mobiliar a casa e melhorar a qualidade de vida de sua família”, acrescentou Manoel.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505