Setor de beleza e estética segue em alta em Manaus

Número de microempreendedores na área de estética cresceu 567% nos últimos cinco anos; faculdades oferecem boa formação.
12/10/2017 15h31 - Atualizado em 12/10/2017 15h31
Foto: Reprodução

A preocupação dos brasileiros com a beleza e saúde é reconhecida mundialmente. O país é o terceiro maior consumidor de produtos estéticos, atrás apenas de Estados Unidos e China. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) mostram que o setor teve um crescimento médio de 10% ao ano nas últimas duas décadas, chegando a faturar R$ 43,2 bilhões.

Com o consumo de produtos em alta, o mercado de trabalho na área também tem apresentado crescimento, principalmente em relação à abertura do próprio negócio. Uma pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostrou que o número de microempreendedores individuais na área de estética aumentou 567%, nos últimos cinco anos.

A coordenadora do curso de Tecnologia em Estética e Cosmética da UniNorte, Esther- Léa Benayon, diz que a área é uma das mais promissoras.

O empreendedorismo é um caminho viável para quem atua na área de estética. Para isso, é preciso ter coragem para enfrentar os desafios do mercado e ter conhecimento sobre gestão empresarial e de pessoas, porque além de realizar os procedimentos de estética é necessário ter noções sobre contratação de fornecedores, formação de estoque, admissão de funcionários, entre outras coisas. Outra dica que ela dá para quem quer empreender nessa área é manter a qualidade do serviço oferecido. “A concorrência existe e o que vai diferenciar os vários profissionais do mercado é a qualidade do serviço prestado”, afirmou.

Ela ressalta que a área de estética exige qualificação e atualização constante dos profissionais. “Há alguns anos o profissional de estética era reconhecido apenas por fazer limpeza de pele e massagens corporais. Hoje, ele está apto a realizar importantes tratamentos estéticos. Com isso, abrem-se mais portas no mercado de trabalho, sendo importante a formação em nível superior, porque os clientes estão mais exigentes e buscam por profissionais qualificados”, destacou.

Segundo Esther Benayon, é importante para quem deseja atuar como profissional de estética procurar um curso que garanta o aprendizado teórico aliado à prática e à preparação para o mercado de trabalho, de modo que o aluno reconheça as várias possibilidade de atuação na profissão. O curso de Estética da UniNorte, recentemente recebeu nota 4, na avaliação de reconhecimento do Ministério da Educação (MEC). Entre os critérios levados em consideração estão infraestrutura e corpo docente.

“O aluno da UniNorte é preparado para utilizar corretamente as técnicas estéticas, os produtos cosméticos e os equipamentos eletroestéticos. A nota é um reconhecimento do trabalho que é desenvolvido pela instituição, com o objetivo único de preparar da melhor forma os profissionais que irão atuar no mercado de trabalho, seja no seu próprio negócio ou em clínicas”, frisou.

O curso de Estética e Cosmética existe há oito anos na instituição e conta com uma Clínica Escola equipada com laboratórios específicos, como: Corporal & Facial, Capilar e SPA, além de laboratórios de Simulação Complexa, Consultórios Simulados, entre outros. A coordenadora acrescenta que, durante o curso, o aluno também tem oportunidade de mostrar à comunidade o que aprende em sala de aula, por meio de atividades de extensão e de responsabilidade social.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso