Amazonense poderá pagar a energia mais cara da região Norte

Amazonas Energia reajustou a tarifa média em 17,13% o que corresponde à maior taxa da região Norte, causando enorme prejuízo à população amazonense.
23/11/2017 15h37 - Atualizado em 23/11/2017 15h37
Foto: Reprodução

O consumidor amazonense pagará a partir deste mês, a tarifa de energia elétrica mais cara da Região Norte. A denúncia foi feita hoje (21) pelo deputado Luiz Castro (Rede), que considerou extorsiva a tarifa residencial de luz no Amazonas, além de injusta, porque segundo ele, o Estado detém a matriz de energia limpa do gás de Urucu e dispõe do Linhão de Tucurui.

Da tribuna da Assembleia Legislativa, Luiz Castro disse que a Amazonas Energia reajustou a tarifa média em 17,13% o que corresponde à maior taxa da região Norte, causando enorme prejuízo à população amazonense.

Exibindo as tabelas de aumento, o deputado mostrou que em novembro a tarifa residencial aumentou 12,67%. A concessionária também reajustou de forma abusiva a tarifa, na casa de 25,17%, para a indústria amazonense, provocando prejuízos ao Polo Industrial de Manaus (PIM), que é a base da economia do Amazonas.

“Hoje, a tarifa de energia do Polo Industrial é a mais cara do Brasil, prejudicando também o comércio”, afirmou.

Na avaliação de Luiz Castro, tanto o governo Dilma, quanto o governo Temer castigaram a população amazonense com a terceira tarifa mais cara do País.

Bancada omissa
Diante dos reajustes abusivos praticados pela Amazonas Energia, Luiz Castro criticou os políticos da bancada amazonense no Congresso Nacional, que se omitiu, permitindo que os amazonenses paguem em média a tarifa mais cara do País.

“Os políticos da bancada amazonense assistiram passivamente o verdadeiro assalto ao bolso do consumidor amazonense, sem se articular para impedir que isso acontecesse”, criticou o deputado.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso