David Almeida rebate acusação de atrasos ao Tratamento Fora de Domicílio

Com base em dados, o parlamentar mostrou evolução crescente nos pagamentos das ajuda de custo.
14/11/2017 14h17 - Atualizado em 15/11/2017 17h03
Foto: Divulgação

O Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputado David Almeida, rebateu, na manhã desta terça-feira (14), a publicação de que ele seria responsável por atrasar os pagamentos de ajuda de custo ao Tratamento Fora de Domicílio (TFD), como as passagens aéreas. Ele apresentou os números durante o pequeno expediente.

Com base em dados, o parlamentar mostrou inclusive uma evolução crescente nos pagamentos das ajuda de custo, bem como das passagens aéreas, de maio a setembro de 2017, período quando esteve à frente do governo do Estado do Amazonas.

David Almeida explicou que no começo do governo interino o pagamento de ajuda de custo realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Susam), em maio, foi de R$ 367,6 mil e em junho R$ 360,7 mil. Mas em julho, o benefício cresceu para R$627,2 mil. “E aumentamos novamente, em agosto, para R$ 683,2, e em setembro fechamos com R$ 443,4 mil. Já em outubro despencou para R$ 353,5 mil e a previsão para novembro é de R$ 292,9 mil”, disse.

A respeito das passagens aéreas do TFD, o presidente da Aleam mostrou também crescimento na disponibilização do benefício para pacientes e acompanhantes. Conforme os números, em maio foi disponibilizado R$ 1,031 milhão, em junho R$ 1,012 milhão e julho R$ 1,084 milhão. Em agosto, o volume de pagamentos cresceu para R$ 1,324 milhão e setembro foi para R$ 1,098 milhão. “Já em outubro caiu para R$ 909,2 mil e novembro temos a previsão de nova queda para R$ 575 mil”, observou o parlamentar.

David Almeida até reconheceu alguns atrasos pontuais no pagamento do benefício, mas reforçou que os números comprovam a atenção que deu aos pagamentos de TFD durante o governo dele. “Os números mostram aquilo que nós fizemos, nos quase cinco meses a frente do governo do Estado e é isso que acredito que deva ser feito. Quando eu faço uma ponderação, uma crítica, eu tenho que me fundamentar para não ficar no senso comum”, comentou.

Em um aparte concedido por Almeida, o deputado da REDE Luiz Castro lembrou que comentou sobre o assunto na semana passada. Ele esclareceu que não referiu os atrasos a gestão interino do governo do Estado. “Eu lembro que, durante o seu governo interino, havia casos de atrasos dois a três meses de TFD. Eu solicitei a sua intervenção e com muita insistência sua, porque havia também um problema burocrático dentro da Susam, esse atraso foi resolvido”, afirmou Castro.

Luiz observou ainda que, quando falou do atraso do TFD, ele se referiu ao atraso de pagamentos referentes ao mês de outubro. “O [senhor deputado David Almeida] saiu do governo no dia 4 de outubro. Então, não tinha como ser sua essa responsabilidade específica, como também eu me referi às passagens aéreas dos pacientes que tiveram a passagem para ir e ficaram ilhados e não conseguiram voltar já também no período de outubro”, disse. “Eu paguei a ida e não pagaram a volta”, comentou David Almeida.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso