Platiny Soares pode ter mandato cassado e ficar inelegível por causa de negociação com Melo

O ex-governador José Melo, o vice dele Henrique Oliveira, e o deputado Platiny Soares são acusados de usar a Polícia Militar para promoção eleitoral na campanha de 2014.
17/11/2017 17h30 - Atualizado em 18/11/2017 17h59
Foto: Reprodução

O Ministério Público Eleitoral opinou pelo não reconhecimento do pedido formulado pelo ex-governador José Melo (Pros), junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), para a extinção do processo que pede a cassação dele, do ex-vice-governador Henrique Oliveira (SDD) e também do deputado estadual Platiny Soares (DEM), acusados de utilizar a Polícia Militar para promoção eleitoral na campanha de 2014. Isto porque o deputado estadual ainda pode ter seu mandato cassado e ficar inelegível.

Mesmo que José Melo e Henrique Oliveira tenham sido cassados, há a existência de outros investigados no processo, podendo “ter declarada a inelegibilidade, caso julgada procedente a presente ação, como é o caso de Platiny Soares”.

O MPE requereu, em setembro deste ano, a juntada neste mesmo processo de gravações telefônicas feitas pelo presidente da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Gerson Feitosa. No entanto, o relator do caso, desembargador João Abdala Simões negou. As gravações tratam de conversas onde o apoio da Polícia Militar é negociado nas eleições de 2014 e Platiny é um dos interlocutores.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso