Serafim Corrêa é acusado de intolerância religiosa por não homenagear Assembléia de Deus e retruca na ALE-AM

Wanderley Dallas subiu à tribuna para falar do assunto e disparou: “pode-se questionar uma ou outra nomeação, mas jamais culpar os evangélicos, como um todo, por uma situação”.
08/11/2017 16h00 - Atualizado em 10/11/2017 16h15
Foto: AM POST

O deputado da bancada evangélica Wanderley Dallas (PMDB) reagiu e fez um pronunciamento sobre a atitude do também deputado, Serafim Corrêa (PSB), que na semana passada se recusou a participar de uma homenagem feita à Igreja Assembleia de Deus plenário da Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) e acusou a instituição de estar acabando com a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Em seu discurso Dallas disse que achou que Serafim não podia “culpar os evangélicos por uma situação” e disse que a Assembleia de Deus já mudou a vida de muitas pessoas e a dele também, por isso rendia homenagem naquele momento à igreja e além de tudo “conhece vários membros dessa congregação religiosa altamente preparados e capacitados”.

“Pode-se questionar uma ou outra nomeação, mas jamais culpar os evangélicos, como um todo, por uma situação”, completou Dallas.

Resposta de Serafim
Em sua defesa Serafim disse que respeita todas as religiões, mas que não podia ignorar que quem manda na igreja Assembleia de Deus é o deputado federal Silas Câmara (PRB) e que foi ele quem nomeou quadros não técnicos na Suframa, o que, na opinião do economista, fragiliza a atuação em defesa do modelo Zona Franca.

Antes de descer de concluir Serafim pediu que se manifestassem os parlamentares presentes no plenário que discordavam que Silas havia indicado pessoas não técnicas a cargos na Suframa.

Redação AM POST


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505