Agronegócio de floresta entra em nova fase de expansão no Amazonas

Após 63 anos, Estado é reconhecido como área sem risco de febre aftosa e ganhar permissão para comercializar carnes de rebanhos bovino e bubalino.
06/12/2017 15h16 - Atualizado em 7/12/2017 17h56
Foto: Reprodução

A partir de hoje toda a carne e produtos derivados dos rebanhos bovino e bubalino do Amazonas podem ser comercializados em praticamente todo território nacional. Foram necessários 63 anos para que esta conquista se transformasse em realidade.

Com a assinatura do documento reconhecendo o Amazonas como área sem risco de aftosa com vacinação pelo ministro Blairo Maggi (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e o governador Amazonino Mendes, em evento no Centro de Convenções Vasco Vásques, o agronegócio de floresta entra em uma nova fase de expansão.

Na avaliação do ministro Blairo Maggi, será criado um corredor do agronegócio entre o Amazonas e Roraima. Ele entende que a soja, o milho e a produção de carne vão aumentar, em função do novo status do Amazonas fora do risco de aftosa com vacinação. “Mas que ainda há muito a fazer para encontrar o eixo deste desenvolvimento, porque as terras da floresta amazônica demandam correções de calcário, práticas diferenciadas de produção e uma logística diferente do restante do país para escoamento da produção”.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso