Defesa de Melo e Edilene reclama de demora no julgamento de pedido de liberdade

Melo e Edilene estão presos desde 31 de dezembro de 2017, acusado de se beneficiarem de esquema de corrupção que desviou dinheiro da saúde do Amazonas.
24/01/2018 10h55 - Atualizado em 25/01/2018 11h24
Foto: Divulgação

Redação AM POST

Com processo há sete dias disponível para julgamento no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, a defesa do ex-governador José Melo e da ex-primeira-dama Edilene Gomes de Oliveira está irritada.

O caso está no gabinete do desembargador Mário César Ribeiro. No entanto, desde novembro, quem está atuando nos processos do desembargador é Leão Aparecido que ainda não analisou o pedido.

De acordo com informações do gabinete do juiz, não há prazo para o habeas corpus ser apreciado. O recurso foi apresentado no dia 8, mudou de relator, e agora está parado nas mãos de juiz convocado.

Melo e Edilene estão presos desde 31 de dezembro de 2017, acusado de se beneficiarem de esquema de corrupção que desviou dinheiro da saúde do Amazonas, descoberto pela operação Maus Caminhos.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso