Governo do Amazonas inicia atendimento multidisciplinar às famílias do ProsaiMaués

O ProsaiMaués vai atender aproximadamente 300 famílias que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social. As famílias que estão sendo assistidas são da Lagoa do Prata
10/01/2018 15h47 - Atualizado em 11/01/2018 16h05
Foto: Divulgação

O Programa de Saneamento Integrado de Maués (ProsaiMaués) retomou, na manhã desta terça-feira (9), os trabalhos de apresentação das alternativas aplicáveis de reassentamento para as famílias incluídas pelo programa. O ProsaiMaués vai atender aproximadamente 300 famílias, que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social.

Os beneficiários estão recebendo atendimento da equipe da Superintendência Estadual de Habitação do Amazonas (Suhab), que conta com assistentes sociais, advogado e engenheiro. Os profissionais permanecem em Maués (distante 268 quilômetros em linha reta de Manaus), até o dia 19 de janeiro. Ao todo, cerca de 60 famílias devem ser atendidas.

O objetivo é esclarecer quais são as soluções de reassentamento possíveis dentro do Prosai, programa que pertence ao Governo do Amazonas e é executado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) e Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), tendo a prefeitura de Maués como co-executora.

“Dos atendimentos que foram realizados no período da manhã, tivemos 100% de aproveitamento. Os beneficiários estão cientes das alternativas que o programa oferece e estão dispostos a resolver as questões da desapropriação, para que as áreas de intervenções sejam desafetadas e o Prosai possa ter prosseguimento” afirmou o advogado Hugo Fabio Sampaio Teles de Souza, da Suhab.

As famílias que estão sendo assistidas são da Lagoa do Prata. Em dezembro foram atendidos beneficiários da Maresia e para o mês que vem, estão agendados os atendimentos da Lagoa Donga Ramalho.

“Percebemos que as famílias estão receptivas, por conta de estarem constatando que as ações do programa estão realmente caminhando. A aceitação dos beneficiários reforça a credibilidade que a nova gestão está resgatando, no ProsaiMaués” destacou a assistente social Célia Colares, da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE).

Esperança para Maués
Moradora da Lagoa do Prata, a dona de casa Lindinalva Sousa do Nascimento, 36, fala sobre a transformação social que o programa trará.

“Minha casa alaga sempre, sofremos muito a cada período de cheia. Por diversas vezes já perdemos móveis, sem contar que até cobra já entrou na minha casa, trazida pela água”, lembra a beneficiária.

Lindinalva e o marido, o vendedor ambulante Idivan Marques Batista, 38, fazem parte do Grupo de Apoio Local (GAL), que configuram a gestão participativa e facilitam a comunicação entre o Governo e a população. O casal mora com os três filhos na rua Eduardo Ribeiro, às margens da Lagoa do Prata.

“Agora estamos com muita esperança de que o programa se concretize, porque, de fato, estamos vendo que as coisas estão caminhando. Até nossos filhos estão ansiosos, comemorando o Prosai”, contou Idivan.

O programa atua de acordo com as diretrizes das políticas operacionais (OP 710), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), financiador do Prosai, que visa garantir direitos e minimizar os impactos causados pela mudança do local de moradia.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso