Intransigência e autoritarismo de Amazonino afasta apoiadores

O grupo que se uniu para elegê-lo em 2017 agora, simplesmente, está sendo desfeito.
30/01/2018 17h19 - Atualizado em 31/01/2018 15h23
Foto: reprodução

Integrantes da base de Amazonino Mendes (PDT) comentam que por falta de amor do executivo, o governo está se desfazendo. O descrédito com a administração é tamanho, que ex-políticos do grupo de apoio, até por sobrevivência política, estão saindo disparando torpedos contra o governador.

O cenário é incerto na base de Amazonino. Um exemplo é o grupo que se uniu para elegê-lo em 2017 e, que agora, simplesmente, está sendo desfeito. Há uma revoada orquestrada na base política do governo.

O senador Omar Aziz (PSD) e o prefeito Arthur Neto (PSDB), que foram os mentores da candidatura de Amazonino, Silas Câmara (PRB), Pauderney Avelino (DEM), que estavam na “campanha do Amor”, simplesmente, todos se sentiram não correspondidos. A “decepção amorosa” foi tamanha que o fizeram abandonar ou romper os laços de paixão que levou Amazonino ao governo.

De acordo com os próprios políticos, a causa do rompimento precoce teria sido a intransigência de Amazonino depois de eleito. Alguns saíram atirando, apontando a arrogância e autoritarismo do chefe do executivo, ou seja, “não aceita a opinião de ninguém e toma decisões sozinho, cria grupos fechados e exclui outros que o apoiaram anteriormente”, comentaram.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso