PT processa Globo, Huck e Faustão na Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico

Para os petistas, o que se viu durante a entrevista do apresentador “foi a demonização da atual política”.
09/01/2018 17h30 - Atualizado em 9/01/2018 17h30
Foto: Reprodução

Apesar de negar que vá disputar a Presidência nas eleições deste ano, o apresentador da TV Globo Luciano Huck tornou-se alvo de um processo do PT na Justiça Eleitoral nesta segunda-feira (8). O partido alega que Huck cometeu e se beneficiou de abuso de poder econômico e dos meios de comunicação durante sua participação no “Domingão do Faustão”, neste domingo (7).

A TV Globo e Fausto Silva, apresentador do “Domingão”, também são alvos da representação, assinada pelos líderes do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), e no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ). Eles pedem a inelegibilidade de Huck ou a cassação do seu eventual registro de candidatura, além de pagamento de multa por parte dos apresentadores e da Globo.

Em nota, a TV Globo disse que “cumpre rigorosamente a legislação eleitoral” e não apoia candidatos, além de ter uma regra que impede seus contratados de permanecerem na empresa caso queiram se candidatar (veja a íntegra abaixo).

O candidato do PT é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tem liderado as pesquisas de intenção de voto e já disse, ao comentar uma eventual candidatura de Huck, querer “disputar com alguém com o logotipo da Globo na test.

Para os petistas, o que se viu durante a entrevista do apresentador “foi a demonização da atual política, dos políticos, dos pré-candidatos ao cargo presidencial, e de forma subliminar, a exaltação da pré-candidatura de Luciano como sendo algo de novo capaz de mudar a realidade vigente e trazer a ‘felicidade’ esperada pelo sofrido povo brasileiro”.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso