Defesa de desembargador nega que ele tenha abusado da própria neta

Até o momento, nenhuma notificação feita pelo Ministério Público ou Polícia Civil foi designada ao desembargador.
22/02/2018 12h14 - Atualizado em 23/02/2018 16h45
Fonte: Reprodução

A defesa do ex-juiz da Infância e Juventude e desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) Rafael de Araújo Romano, 73, informou que ele nega todas as acusações abuso sexual contra a própria neta, hoje com 15 anos. O magistrado foi denunciado nesta quarta-feira (21) no Ministério Público (MP-AM) pela mãe da adolescente, a advogada Luciana Pires, que relatou que os abusos ocorriam desde que a menina tinha 7 anos.

O advogado, José Carlos Cavalcanti, informou que tanto o desembargador quanto a família se dizem surpresos em relação às declarações feitas por Luciana e a adolescente. Ele disse que o cliente deve aguardar o posicionamento da acusação, já que até o momento, nenhuma notificação feita pelo Ministério Público ou Polícia Civil (PC) foi designada ao desembargador.

“Ele nega veementemente ter praticado qualquer ato contra a própria neta e que não tinha conhecimento de nenhuma das histórias relatadas nas redes sociais. Nós aguardamos agora algum posicionamento deles, para apresentarmos uma defesa clara e que comprove a inocência do meu cliente”, declarou.

O pai da menina, Rafael Romano Junior, acusou Lucina de se aproveitar da ‘fragilidade emocional da filha’ para sua família. Luciana está em processo de separação do filho do magistrado.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso