Deputados cobram informações sobre obra milionária na casa de Amazonino

A construção de um muro na casa do governador será será alvo de pente-fino.
19/02/2018 13h14 - Atualizado em 20/02/2018 15h54
Foto: Reprodução

Deputados estaduais irão cobrar informações sobre a construção de um muro de arrimo, de aproximadamente 100 metros de comprimento e cinco de altura, que está sendo construído na margem do Lago do Tarumã, nos fundos do terreno da casa onde mora o governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PDT), no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus.

A empresa MCW Construções tem contratos com o Estado e é responsável pela obra na casa do governador e recebeu em 2017, R$ 20,1 milhões do governo do Estado, via Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), sendo R$ 9,6 milhões, ou cerca de 50%, após a posse de Amazonino, no dia 4 de outubro do ano passado.

O deputado estadual Platiny Soares (DEM) disse que ingressará com requerimento com pedido de informações sobre a obra e a relação da empresa com o governador. “Precisamos saber em que condições há a prestação de serviços desta empresa com a pessoa física Amazonino Mendes. Isto pode se caracterizar como uma troca de favores. Temos que saber o valor da obra e de que forma está sendo paga. Precisamos saber se aquele famoso jargão ‘arrumar a casa’ se tratava desta obra”, disse.

De acordo com Platiny, outro problema é a construção em área à margem de rio. “Além da suspeição da prestação de serviços por uma empresa contratada pelo Estado, existe ainda a questão se existe licenciamento ambiental para a construção. Até onde eu sei não existe exceção alguma para construção deste porte a margem de rio. A questão ambiental também devem ser observada”, armou.

No local da construção não há placas indicando o licenciamento da obra, que pode estar avaliada em mais de R$ 1 milhão, incluindo mão de obra, transporte de material e maquinário, como retroescavadeira, balsa e empurrador.

No ano passado, Amazonino declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 118,5 mil de patrimônio, ou R$ 2.981,5 milhões a menos que em 2008, quando declarou bens no valor de R$ 3,1 milhões. Em 2001, uma outra casa de Amazonino, também no Tarumã, com 2,5 mil metros quadrados, virou notícia nacional.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso