Alessandra Campêlo diz ter sofrido assédios no PCdoB e Vanessa sugere interpelação

O esposo de Vanessa disse que Alessandra deveria ter feito denúncias na época dos assédios e julgou a atitude da deputada como lamentável.
30/03/2018 18h22 - Atualizado em 31/03/2018 14h52
Foto: Divulgação

Redação AM POST

A deputada estadual Alessandra Campelo (MDB), afirmou em evento de solidariedade à vereadora assassinada Marielle Franco (Psol), ocorrido no último dia 20, que saiu do PCdoB porque havia sofrido assédios. Ao ser questionada sobre a declaração a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), e esposa do presidente estadual da sigla, Eron Bezerra, disse que foi a maior surpresa de sua vida.

Para Vanessa, o partido deveria cobrar um pedido de explicação para que as declarações da deputada fossem esclarecidas. “Não cheguei a participar de reunião no partido (para tratar o assunto), mas acho que tem que fazer uma interpelação” disse.

Ainda segundo a senadora é preciso, neste caso, fazer distinção entre pessoas físicas e jurídicas. “A gente precisa saber quem foi a pessoas física que fez isso. Porque o PCdoB é uma pessoa jurídica e até onde eu sei uma pessoa jurídica não tem como fazer isso” explicou.

O esposo de Vanessa disse que Alessandra deveria ter feito denúncias na época dos assédios e julgou a atitude da deputada como lamentável. “Se ela teve algum problema no PCdoB, ela deveria ter dito isso na época (…) Sabe, eu acho esse tipo de atitude um pouco fora de tom e é lamentável. Todo mundo tem direito de entrar e sair do partido, mas não pode usar pretexto para isso” frisou.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso