Seduc suspende professora que denunciou venda de produtos eróticos em escola de Manaus

Conforme publicação do Diário Oficial do Estado, além da suspensão, a servidora deve ficar sem receber durante dois meses.
17/03/2018 14h08 - Atualizado em 19/03/2018 15h45
Foto: Reprodução

A professora Ana Lúcia Brito de Araújo, que lecionava na Escola estadual Castelo Branco, no bairro São Jorge, na Zona Oeste, foi suspensa das atividades por 60 dias por ter denunciado a venda livre de produtos sexuais destinados a maiores de 18 anos em um brechó que acontecia no colégio em agosto de 2016.

Conforme publicação do Diário Oficial do Estado, além da suspensão, a servidora deve ficar sem receber durante dois meses.

Ela explicou que o processo administrativo contra ela foi registrado em outubro de 2017 na Comissão de Regime Disciplinar da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc), mas apenas no dia 20 de fevereiro desde ano, o parecer foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE).

A ação, segundo a professora, foi movida porque a Seduc acredita que a servidora expôs os estudantes. Para a professora, a Seduc cometeu injustiça, após a equipe de gestão Escola estadual Castelo Branco descobrir que ela havia feito a denúncia.

Fonte: Portal A Crítica


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso