Áudio atribuído a Chico Pinheiro defende Lula e critica Moro

A rede Globo informou apenas que “não vai se pronunciar”, sobre a veracidade da gravação.
10/04/2018 13h58 - Atualizado em 11/04/2018 16h21
Foto: reprodução

Um áudio atribuído ao jornalista Chico Pinheiro, da rede Globo, está circulando por meio de vídeos no YouTube, com conteúdo favorável ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e crítico a Sérgio Moro.

Questionada sobre o assunto a rede Globo informou apenas que não vai comentar o caso, nem mesmo se pronunciar sobre a veracidade da gravação.

O áudio começa dizendo que “realizaram o fetiche deles. O fetiche deles era o Lula na cadeia”, sem especificar a quem se refere o “eles”.

“Que o Lula tenha calma, sabedoria, inspiração divina pra ficar quieto um tempo ali onde ele está. Se a gente pensar bem, aquela acomodação em que ele está é melhor que todos os lugares onde ele dormiu quando era criança e quando ele estava na juventude. Deixa quieto um tempo pra ver o que é que eles vão fazer”, diz a gravação.

“A coisa está louca. A direita não tem o que fazer. Os coxinhas estão perdidos. Eles têm que arranjar outro caminho agora. Que o Lula tenha paz e sabedoria, ele está bem guardado, ele está protegido, e ele está caminhando por aí. Porque é como ele disse, a melhor frase de tudo, ‘eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia’, ideia não se prende. A gente tá solto”.

“Quando a pessoa deixa de ser um ser humano e se transforma numa ideia, começa o pesadelo. Vai ser difícil eles dormirem”.

Em seguida, ainda há uma crítica à legenda da GloboNews, que pertence ao grupo Globo, no qual o jornalista trabalha. A legenda diz “Sem Lula, PT precisa traçar novas estratégias”. “Ora, quem tem que traçar novas estratégias são eles, o que eles vão fazer agora?”, segue a gravação.

Depois, a voz começa a cantar uma paródia da música Pesadelo, de Paulo César Pinheiro, trocando o “muro” da letra por “Moro”, em referência ao juiz federal que determinou a prisão do ex-presidente. “Quando o Moro separa uma ponte une/ A vingança encara o remorso pune/ Você vem me agarra, alguém vem me solta/ Você vai na marra, ela um dia volta/ E se a força é tua ela um dia é nossa/ Olha o muro, olha a ponte, olhe o dia de ontem chegando/ Que medo você tem de nós, olha aí”.

Depois da cantoria, há um pedido para que a cantora Ana Cañas regrave a música, “pedido do Chico Pinheiro”, diz o áudio, e a despedida é “beijo coala pra vocês. Vamos em frente. Eu to aqui no meu posto, difícil, mas eu tenho perspectiva histórica. Um beijo no coração de vocês que me representaram quando eu tive que apresentar aquele jornal de ontem, mas tá tudo bem”. Chico Pinheiro apresentou, no Jornal Nacional, a notícia da prisão de Lula.

O encerramento é uma citação de outra música, “Canción por lá unidad de Latino América”, de Milton Nascimento: “A história é um carro alegre/ Cheio de um povo contente/ Que atropela indiferente/ Todo aquele que a negue”.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso