Narcotraficante ‘João Branco’ é condenado a 30 anos de prisão por morte de delegado no AM

Além dele, outros três réus tiveram sentenças de mais de 20 anos de reclusão.
14/04/2018 14h15 - Atualizado em 16/04/2018 15h56
Foto: reprodução

O narcotraficante João Pinto Carioca, conhecido como “João Branco”, foi condenado a 30 anos e dois meses de prisão em regime fechado pelos crimes de homicídio qualificado e associação armada no caso do assassinato do delegado Oscar Cardoso, morto em março de 2014. A sentença foi dada no início da madrugada deste sábado (14) no Fórum Ministro Henoch Reis, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Os réus Marcos Roberto Miranda da Silva, o “Marcos Pará”, e Diego Bruno de Souza Moldes foram condenados a 25 anos e 11 meses. O quarto réu, Messias Maia Sodré, foi condenado a 21 anos e quatro meses. Assim como João Branco, todos cumprirão suas penas em regime fechado e pelos crimes de homicídio qualificado e associação armada.

O delegado Oscar Cardoso foi assassinado com mais de 18 tiros no dia 9 de março de 2014 em frente à casa dele, na rua Negreiros Ferreira, bairro São Francisco, Zona Sul de Manaus. A vítima estava em via pública, com o neto no colo, um menino que na época tinha 1 ano e seis meses de idade, quando foi surpreendido pelos atiradores, que desceram de vários veículos.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso