Bolsonaro cogita chapa pura e não descarta Janaina Paschoal como vice

Janaina Paschoal é autora do pedido de impeachment que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).
18/05/2018 15h54 - Atualizado em 19/05/2018 15h36
Foto: reprodução

Apesar de já admitir publicamente que aceitaria “na hora” o senador Magno Malta (PR-ES) como seu vice na disputa pela Presidência da República, o pré-candidato e deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou ao UOL que se prepara também para ter uma “chapa pura”, ou seja, concorrer com alguém de seu partido, “se ele [Malta] não vier”.

Questionado pela reportagem sobre a possibilidade de compor a chapa com a advogada Janaina Paschoal, autora do pedido de impeachment que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Bolsonaro não a descartou. Professora de direito penal da USP (Universidade de São Paulo), ela se filiou ao PSL no último dia do prazo legal para quem quer disputar as eleições desse ano, em abril.

“Eu só conversei com ela uma vez, por telefone, e não tocamos nesse assunto. Ela está filiada, não sei o interesse dela. E devo conversar com ela nos próximos dias. Não sei se ela quer, se ela não quer”, comentou o presidenciável.

Ao dizer que também se preparava para “ser chapa pura”, Bolsonaro disse que não entraria em detalhes sobre o plano “por estratégia”.

Procurada pelo UOL para falar sobre as chances de se lançar na disputa eleitoral, Janaina respondeu nesta quinta-feira (17), por meio de mensagem de WhatsApp, que “não houve nenhuma conversa nesse sentido”. “E eu realmente não pretendo entrar na política”, completou a advogada, que não respondeu a outras perguntas e nem atendeu telefonemas da reportagem.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso